Bruxelas multa Scania em quase 900 milhões de euros

  • ECO e Lusa
  • 27 Setembro 2017

A União Europeia mostrou mão pesada junto do fabricante de camiões sueca. Trata-se da segunda maior multa de sempre num caso relacionado com violação de regras de concorrência.

A União Europeia multou a Scania num total de 880,5 milhões de euros por desrespeito de regras de concorrência. Trata-se da segunda maior multa do género, depois da de mil milhões de euros à Dailmer no ano passado. Em causa está a prática de cartel com outros cinco: MAN, DAF, Daimler, Iveco e Volvo/Renault. A Scania recusou-se a chegar a um acordo com a Comissão Europeia.

Margrethe Vestager, comissária europeia para questões de concorrência, afirma em comunicado que “este cartel afetou substancialmente vários fabricantes europeus, uma vez que a Scania e outros construtores de camiões no grupo produziram mais de 90% dos veículos pesados vendidos na Europa”. Além disso, a fabricante sueca fez recair sobre os seus clientes os custos necessários para as suas atualizações tecnológicas, nomeadamente no que toca a emissões de gases.

De acordo com a Bloomberg, a empresa sueca já teria guardado um montante de 3,8 mil milhões de coroas suecas (398 milhões de euros) para cobrir possíveis acusações de antitrust, após a cobrança de três mil milhões de euros por Bruxelas a um conjunto de fabricantes (Daimler, Volvo/Renault e Iveco e DAF) por terem constituído um cartel entre si, combinando os preços praticados no mercado durante mais de 14 anos.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bruxelas multa Scania em quase 900 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião