Almada, Isaltino e Passos na mira das redes sociais

  • Rita Frade
  • 2 Outubro 2017

Ontem foi dia de eleições autárquicas. Mas, se para uns foi um momento de vitória ou de derrota, para outros foi uma oportunidade única para brincar com os resultados obtidos nas redes sociais.

Um dia depois de serem conhecidos os resultados das eleições autárquicas de 2017, tópicos como “Isaltino”, “Almada”, “Passos Coelho” continuam a estar em destaque nas redes sociais.

O motivo? As surpresas que marcaram (ou não) a noite eleitoral de ontem. Mas, vamos por partes.

A vitória de Isaltino Morais deixou muita gente incrédula, pelo facto de este já ter estado preso, durante dois anos, por fraude fiscal e branqueamento de capitais. Mas, se para uns este acontecimento foi motivo de irritação, para outros foi mais um momento para brincar com a situação:

A questão que se impõe agora e que foi defendida pelo próprio candidato à Câmara de Oeiras é: será que todos não merecemos uma segunda oportunidade? Há quem diga que sim.

“Almada” está também em destaque pela reviravolta que se registou no município, ou seja, uma câmara que, desde 1976, era comunista passou, de repente, a pertencer ao Partido Socialista. De qualquer forma, o grande alvo nas redes sociais não tem sido propriamente o partido, mas a candidata do PS, Inês de Medeiros, à Câmara de Almada, que em tempos tinha voos semanais pagos para Paris, pela Assembleia da República.

“Passos Coelho” é outro dos temas em destaque, mas não pelos melhores motivos. Em primeiro lugar, pelo facto de o PSD ter obtido um dos piores resultados de sempre, ficando em terceiro lugar tanto no Porto como em Lisboa, e, segundo, pelas declarações do presidente do PSD, que diz não se demitir, mas ponderar uma nova recandidatura à liderança do partido.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Almada, Isaltino e Passos na mira das redes sociais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião