Dirigente da Uber deixa empresa após retirada da licença em Londres

  • Lusa
  • 2 Outubro 2017

Chefe da Uber para o norte da Europa, Jo Bertram, anunciou decisão dez dias após a decisão das autoridades de Londres de não renovar a licença à plataforma norte-americana.

A chefe da Uber para o norte da Europa anunciou esta segunda-feira a sua saída, dez dias após a decisão das autoridades de Londres de não renovarem a licença para operar à plataforma norte-americana de transporte de passageiros.

“Decidi seguir em frente. Deixo a Uber”, explicou Jo Bertram num e-mail. A divulgação desta informação surge na véspera da visita a Londres do presidente executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, que deverá reunir-se com responsáveis dos transportes.

No passado dia 22, o regulador dos transportes de Londres decidiu não renovar a licença à Uber, que expirava em 30 de setembro, por considerar que a plataforma “não reúne os requisitos” necessários para operar na cidade devido a questões de “segurança dos cidadãos”.

A Uber anunciou, no mesmo dia, que contestaria nos tribunais a decisão, mas Dara Khosrowshahi pediu depois desculpas pelos “erros” e manifestou vontade “de trabalhar com Londres para corrigir as coisas”.

Jo Bertram entrou na Uber há quatro anos como responsável da operação da empresa em Londres. Depois foi promovida ao cargo de responsável para a região do norte da Europa, que inclui o Reino Unido.

“Atendendo aos nossos desafios atuais, considero que este é o momento certo para uma mudança e para passar as minhas responsabilidades a outra pessoa”, sublinhou a dirigente, que ainda permanecerá na Uber algumas semanas para assegurar a transição.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dirigente da Uber deixa empresa após retirada da licença em Londres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião