Bancos mundiais criam plataforma da blockchain para transacções financeiras

  • ECO
  • 4 Outubro 2017

O Commerzbank, o Banco de Montreal, o Erste Group Bank e o CaixaBank juntaram-se à UBS e à IBM para construírem uma plataforma com base na tecnologia blockchain para transacções financeiras.

Quatro dos maiores bancos mundiais querem intensificar os seus esforços na implantação da tecnologia blockchain tendo para o efeito aderido a uma iniciativa lançada pela UBS e pela IBM para construírem uma plataforma tecnológica para as transações financeiras.

Segundo a Reuters, as instituições financeiras que aderiram a esta iniciativa são o Commerzbank, o Banco de Montreal, o Erste Group Bank e o CaixaBank.

A plataforma, denominada de Batavia, ajudaria os bancos e os seus clientes a autonomizar o processo de financiamento comercial, que permanece altamente manual e em papel, afirmaram os bancos esta quarta-feira citadas pela Reuters.

Esta decisão junta-se a uma outra lançada por bancos europeus que também têm vindo a intensificar os seus esforços na implementação da tecnologia blockchain nos seus negócios financeiros, dando ênfase ao potencial que muitos banqueiros apontam a esta tecnologia, a mesma que está por detrás de moedas digitais como a bitcoin, no setor financeiro e que já está, de resto, a ser usada noutros setores económicos.

A blockchain é uma tecnologia que permite que dados encriptados sobre tudo, desde dinheiro até registos médicos, possam ser partilhados por muitas empresas, pessoas e instituições, de uma forma segura enquanto são atualizados e disponibilizados instantaneamente por todas as partes envolvidas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bancos mundiais criam plataforma da blockchain para transacções financeiras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião