Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 10 Outubro 2017

Este dia poderá ser de vitória para a Catalunha. A Rússia e a Coreia do Norte voltaram a fazer das delas. Em França o ambiente também está agitado.

A Catalunha continua a liderar as manchetes de praticamente todo o mundo, mas a partir de hoje os títulos poderão ser mais vitoriosos. Em França o ambiente ficou mais problemático desde segunda-feira, com a função pública a pedir melhores condições salariais. A Rússia e a Coreia do Norte, como sempre, continuam envolvidas em polémicas.

Business Insider

Será hoje que a Catalunha se torna independente?

O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, vai comparecer esta terça-feira no parlamento catalão para uma sessão onde serão analisados os resultados e os efeitos deste referendo. Contudo, poderá resultar na declaração formal e unilateral da tão aguardada independência. Na véspera desta sessão parlamentar, nem o primeiro-ministro Mariano Rajoy nem Puigdemont mostraram sinais de eventuais negociações, visto que o presidente regional disse que iria declarar a independência em breve, mas nunca especificou uma data. As autoridades já instalaram um perímetro de segurança na zona. Leia a notícia completa no Business Insider [acesso gratuito, conteúdo em inglês]

Le Monde

Função pública paralisa França com uma greve

Pela primeira vez em dez anos, todos os sindicatos dos serviços públicos franceses estão em greve esta terça-feira, em protesto contra o congelamento salarial e as condições de trabalho. Os oito maiores sindicatos franceses apelaram aos 5,4 milhões de funcionários públicos para participarem nas 130 marchas de protesto espalhados por todo o país. A mobilização será mais sentida nas escolas, nos hospitais e no setor dos transportes. “Os funcionários públicos sentem que são considerados apenas um peso orçamental e não uma mais-valia para o país”, disse Laurent Berger, chefe da CFDT, o maior sindicato do país. Leia a notícia completa no Le Monde [acesso gratuito, conteúdo em francês]

El País

Espanha apoia Dijsselbloem a completar o mandato até janeiro

O presidente do Eurogrupo Jeroen Dijsselbloem, permanecerá nesse cargo até finais de janeiro, ou seja, tudo indica que vai completar o seu mandato. Isto tudo graças ao “apoio unânime” que recebeu dos membros da Zona Euro, de acordo com o próprio Dijsselbloem apesar de, provavelmente, até afinal de outubro já haver um novo ministro das Finanças holandês em funções. Madrid criticou severamente o presidente do Eurogrupo, depois de este ter pronunciado a frase: “Você não pode gastar todo o seu dinheiro com álcool e mulheres e depois pedir ajuda” e pediram a sua demissão. Mas, no fim, nem Portugal nem Espanha se opuseram à continuação do seu mandato. Leia a notícia completa no El País [acesso livre, conteúdo em espanhol]

The Washington Post

Rússia usou anúncios na Internet para influenciar eleições norte-americanas de 2016

A Google descobriu provas que mostram que a Rússia, na altura das eleições norte-americanas de 2016, usou dezenas de milhares de dólares para criar anúncios em várias plataformas, com o objetivo de interferir nessas eleições. Sites como o Google, Youtube, Facebook e Gmail, foram usados como canais de propaganda desses anúncios e o Facebook já confirmou que cerca de dez milhões dos seus utilizadores nos EUA viram pelo menos um dos mais de três mil anúncios de caráter político. No total, a empresa estima que tenham sido criadas 470 contas, num investimento de mais de cem mil dólares. Leia a notícia completa no The Washington Post [acesso livre, conteúdo em inglês]

Financial Times

Coreia do Norte pirateou sistema informático da Coreia do Sul

A capital da Coreia do Sul, Seul, avançou esta terça-feira a notícia de que o regime de Kim Jong-un invadiu os sistemas informáticos do país em setembro do ano passado e teve acesso a planos de guerra e documentos militares operacionais. Segundo os mesmos, os hackers norte-coreanos roubaram o mais recente projeto para uma possível guerra contra o regime de Pyongyang. Mais recentemente, a empresa de tecnologia FireEye disse que os hackers da Coreia do Norte estariam a tentar roubar o bitcoin das trocas sul-coreanas para evitar sanções internacionais mais pesadas. Leia a notícia completa no Financial Times [acesso condicionado, conteúdo em inglês]

Bloomberg

Rival chinês da Airbnb valoriza mais de 1,5 mil milhões de dólares

O Tujia.com, a maior empresa de aluguer de automóveis da China, avançou esta terça-feira que arrecadou mais de 300 milhões de dólares (256 milhões de euros) de investidores, valorizando mais de 1,5 mil milhões de dólares (1,3 mil milhões de euros). A empresa tem tentado aproveitar o aumento crescente da procura dos turistas chineses por este negócio de viagens independentes. O principal rival do Tujia.com na China é o Airbnb, que tem estado a reforçar a sua presença e a procurar atrair mais jovens. O ano passado, foi avaliado em 30 mil milhões de dólares (25,6 mil milhões de euros). Leia a notícia completa na Bloomberg [acesso condicionado, conteúdo em inglês]

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião