Altice “confiante” na aprovação da compra da Media Capital

O responsável pela área de media na Altice diz à Bloomberg que está "confiante" de que os reguladores portugueses vão aprovar a compra da TVI pela Meo.

Alain Weill, o líder do segmento de media da Altice, disse que o grupo está “confiante” de que os reguladores portugueses vão aprovar o negócio da compra da Media Capital aos espanhóis da Prisa, disse numa entrevista à Bloomberg. Atualmente, o negócio encontra-se a ser analisado pela ERC, o regulador dos media. Está avaliado em 440 milhões de euros.

O dossiê do negócio encontra-se sob a alçada da Autoridade da Concorrência (AdC), que tem a última palavra a dar. No entanto, as declarações de Weill surgem numa altura de forte contestação ao negócio por parte de empresas da concorrência, quer no setor dos media, quer no setor das telecomunicações.

A Anacom foi, até ao momento, o único regulador a pronunciar-se publicamente sobre esta aquisição vertical, recomendando a não aprovação da operação nos termos apresentados.

Além disso, a ERC, que se encontra atualmente com a pasta nas mãos, e que terá o poder vinculativo de travar a compra da dona da TVI, terá recebido dos serviços um parecer desfavorável ao negócio. Pelo menos segundo a informação revelada pelo comentador Luís Marques Mendes este domingo, na… SIC.

A ERC encontra-se fragilizada e com várias cadeiras vazias no conselho regulador. O parecer do regulador dos media deveria ter sido emitido na última terça-feira. Mas a falta de acordo entre os membros e a necessidade de uma votação unânime para que a deliberação seja aprovada, assim como o surgimento de novos factos relevantes e algumas dúvidas jurídicas, levaram o presidente Carlos Magno a pedir à AdC mais cinco dias. A AdC concedeu a extensão do prazo.

(Notícia atualizada às 11h06 com mas informação)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Altice “confiante” na aprovação da compra da Media Capital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião