Reino Unido: eBay e Netflix (só) pagaram 1,9 milhões de libras em impostos em 2016

Em 2016, no Reino Unido, o eBay e a Netflix pagaram em impostos, no total e em conjunto, a quantia de... 1,9 milhões de libras, pouco mais de dois milhões de euros.

Sabe quanto pagaram em impostos a Netflix e o eBay durante o ano passado no Reino Unido? Agarre-se bem: foram 1,9 milhões de libras, ou 2,1 milhões de euros à taxa de câmbio atual. Isso mesmo. Estas duas empresas norte-americanas, que contam com milhões de clientes britânicos e receitas milionárias no país, não pagaram nem dois milhões de libras em impostos durante um ano. Em conjunto e no total.

As contas foram feitas pelo jornal britânico Financial Times [acesso pago / conteúdo em inglês], que nota que estes números levantam novas questões acerca da forma como estas grandes companhias de base tecnológica estruturam os seus negócios para pagarem menos impostos nos vários mercados em que operam.

Que contas foram essas?

Comecemos pelo eBay, uma das maiores lojas online e um gigante no universo do comércio eletrónico. Em 2016, registou no país 200 milhões de libras (cerca de 223 milhões de euros) em receitas e um lucro de 7,6 milhões (8,5 milhões de euros). Desse valor, pagou apenas 1,6 milhões de libras (1,8 milhões de euros) em impostos por estes resultados financeiros.

Já a Netflix, o conhecido serviço de streaming de filmes e séries, tem vindo a registar uma queda nos lucros e receitas. Ainda assim, em 2016, conseguiu receitas de 22 milhões de euros no Reino Unido e um milhão de euros de lucro. O valor dos impostos pagos no país caíram 39% para… 300.000 euros. Estima-se que existam 6,5 milhões de subscritores deste serviço no país.

O tema dos impostos pagos pelas multinacionais tem estado na ordem do dia ao nível internacional e Portugal não é exceção. Em meados de setembro, soube-se que o Governo português decidiu associar-se a uma iniciativa de âmbito europeu para avançar com um modelo mais eficaz de tributação da economia digital.

Outros países, porém, têm adotado a estratégia inversa: a Irlanda, por exemplo, foi acusada por Bruxelas de criar benefícios fiscais ilegais para estas empresas e exigiu à Apple a devolução de 13 mil milhões de euros impostos irregularmente perdoados. A inércia do governo irlandês levou a Comissão Europeia a avançar com um processo contra a Irlanda no início deste mês de outubro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Reino Unido: eBay e Netflix (só) pagaram 1,9 milhões de libras em impostos em 2016

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião