Todos os dias, 150 empresas deixam a Catalunha. Já lá vão quase 600

  • Lusa
  • 16 Outubro 2017

A fuga de empresas para fora da Catalunha continua a marcar a atualidade da economia regional. Até à passada quinta-feira tinham saído 581 empresas com sede na comunidade

Cerca de 150 empresas da Catalunha mudam diariamente a sua sede para fora da região, destacando-se pequenas e médias empresas (PME), seguindo o exemplo de grandes grupos bancários como Sabadell e CaixaBank.

Segundo o Luis Suárez, do Colégio de Registradores de Cataluña, entidade espanhola responsável pelo registo de empresas, a mudança de sedes para fora da Catalunha começou a aumentar a partir de 07 de outubro, depois de o banco Sabadell e o grupo Caixabank (dono do português Banco BPI) terem aprovado a mudança do seu domicílio social.

Desde 10 de outubro, quando o presidente do Governo da Catalunha, Carles Puigdemont, deixou em suspenso uma declaração de independência, as mudanças de sede para fora da Catalunha ocorrem a um ritmo de “umas 150 por dia”.

Até à passada quinta-feira, tinham sido 581 as empresas com sede na Catalunha que tinham deixado a comunidade autónoma, segundo a mesma fonte.

“Primeiro foram as grandes entidades financeiras, depois as empresas energéticas e as mais emblemáticas, e agora são as pequenas e medias empresas”, disse Suárez.

Suárez estima que, se a incerteza em torno do que acontecerá à Catalunha durar apenas algumas semanas, a “recuperação será relativamente rápida”, mas que caso se prolongue a “recessão é certa”.

Também as operações de compra e venda de imóveis estão a ser afetadas pela ‘questão catalã’, com os investidores a adiarem decisões de investimento.

O Governo regional da Catalunha (a Generalitat) realizou em 1 de outubro último um referendo de autodeterminação.

Segundo a Generalitat, nessa consulta popular, considerada ilegal pelo Estado espanhol, o “sim” à independência teve 90% dos votos dos 43% dos eleitores que foram votar, tendo aqueles que não concordam com a independência da região boicotado a ida às urnas.

Puigdemont suspendeu na passada terça-feira a independência da Catalunha depois de ter feito uma declaração ambígua no parlamento da região.

O Governo espanhol decidiu hoje dar uma “última oportunidade”, até as 10:00 (09:00 de Lisboa) de quinta-feira, ao executivo catalão para esclarecer se declarou a independência unilateral da Catalunha antes de ativar o artigo 155 da Constituição espanhola e “repor a legalidade” na comunidade autónoma da Catalunha.

Comentários ({{ total }})

Todos os dias, 150 empresas deixam a Catalunha. Já lá vão quase 600

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião