Linha de crédito do Novo Banco concede até 400 milhões para investigação e desenvolvimento nas PME

  • Lusa
  • 17 Outubro 2017

A nova linha de crédito do Novo Banco concede um máximo de 400 milhões de euros para pequenas e médias empresas apostarem em áreas como a investigação e o desenvolvimento.

O Novo Banco disponibilizou uma nova linha de crédito no valor de até 400 milhões de euros para as micro, pequenas e médias e empresas (PME), indicou hoje a instituição financeira em comunicado.

Esta linha está aberta também a empresas de maior dimensão que empreguem no máximo até 499 trabalhadores e “destina-se especificamente a empresas que pretendam financiamento para apoiar as suas atividades ou projetos de investigação, desenvolvimento e inovação, até um máximo de 7,5 milhões de euros”.

A linha de crédito resulta do acordo celebrado com o Fundo Europeu de Investimento (FEI) e beneficia do apoio financeiro da União Europeia no âmbito dos Instrumentos Financeiros do Programa “Horizonte 2020” e do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), criados no quadro do Plano de Investimento para a Europa.

Conta também com uma cobertura do FEI para 50% do risco de crédito subjacente, “sendo por isso muito relevante no apoio aos projetos aprovados nos sistemas de incentivos à inovação produtiva e qualificação de PME no âmbito do Portugal 2020”.

Com esta nova linha, o Novo Banco afirma que “reforça a sua posição de liderança” entre os bancos portugueses no acesso a apoios do FEI destinados ao financiamento da economia portuguesa, alcançando um valor acumulado de até 1.060 milhões de euros.

No comunicado o Novo Banco refere que este instrumento “permite o acesso das PME portuguesas a condições de financiamento mais favoráveis”, promovendo assim a criação de emprego e o crescimento da economia.

Além disso, adianta a instituição, permite dar continuidade à estratégia prosseguida pelo Novo Banco de “permanente apoio ao tecido empresarial português”.

Trata-se da quarta transação do mesmo tipo assinada entre o Novo Banco e o FEI, depois do lançamento da linha Risk Sharing Finance Facility, em outubro de 2013, e das duas linhas InnovFin SME Guarantee Facility, em julho de 2015 e dezembro de 2016.

Através destas linhas o Novo Banco facultou 660 milhões de euros de financiamento a mais de 500 empresas inovadoras suas clientes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Linha de crédito do Novo Banco concede até 400 milhões para investigação e desenvolvimento nas PME

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião