Procura por petróleo vai atingir pico até 2030. E a culpa é dos carros elétricos

  • ECO
  • 17 Outubro 2017

O crescimento das vendas dos carros elétricos vai reduzir significativamente a procura por combustíveis, em particular a partir de 2025. A conclusão é de um estudo da consultora Wood Mackenzie.

A procura pelo “ouro negro” vai alcançar um máximo nos próximos 13 anos. E a culpa é dos veículos elétricos. À medida que a utilização destes carros se torna mais comum, a procura pela matéria-prima vai começar a diminuir, de acordo com um estudo da consultora Wood Mackenzie. Alguns países já alertaram que vão começar a reduzir a venda de automóveis que utilizam motores de combustão tradicionais, como é o caso de França e Reino Unido.

“Estamos a tornar-nos cada vez mais eficientes ao utilizarmos a nossa energia. Por isso, à medida que as economias crescem, tornam-se menos dependentes do petróleo, o que deve diminuir a importância da matéria-prima na economia global ao longo do tempo”, afirma o analista sénior da Wood Mackenzie Alan Gelder, de acordo com um estudo da consultora (conteúdo em inglês). A Wood Mackenzie refere que o crescimento das vendas dos carros elétricos vai reduzir significativamente a procura por combustíveis, em particular a partir de 2025.

"Estamos a tornar-nos cada vez mais eficientes ao utilizarmos a nossa energia. Por isso, à medida que as economias crescem, tornam-se menos dependentes do petróleo, o que deve diminuir a importância da matéria-prima na economia global ao longo do tempo.”

Alan Gelder

Analista sénior da Wood Mackenzie

Reino Unido e França já disseram que vão começar a diminuir a venda de novos carros a gasolina e a diesel até 2040. A China, o maior mercado automóvel do mundo, está a ponderar seguir o mesmo caminho, o que teria um impacto significativo na procura por petróleo. Dos 96 milhões de barris de petróleo consumidos todos os dias a nível global, 60 milhões são utilizados para transportes. A consultora estima que este número vai estagnar até 2030.

“Vamos assistir a um crescimento das vendas de carros elétricos a partir de 2025. Quanto mais olhamos para o futuro, vemos mais carros elétricos”, refere Gelder. O analista sénior prevê que os modelos elétricos vão corresponder a 10% das vendas globais de carros novos até 2030. “Se as cidades começarem a proibir carros com motores de combustão, isso vai acelerar rapidamente a mudança para os elétricos”, remata.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Procura por petróleo vai atingir pico até 2030. E a culpa é dos carros elétricos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião