Portarias de extensão aumentam salários entre 1,3% e 5% em cinco setores

  • Lusa
  • 23 Outubro 2017

Trabalhadores da indústria farmacêutica, distribuição alimentar, conservas de peixe e fabricantes de papel e cartão vão ter aumentos entre os 1,3% e os 5%.

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social publicou em Diário da República cinco portarias de extensão para alterações nos contratos coletivos farmacêutico, distribuição alimentar, conservas de peixe e fabricantes de papel e cartão.

As cinco portarias implicam acréscimos entre os 1,3% e os 5% para os trabalhadores cujas remunerações são alteradas com a entrada em vigor das alterações do contrato coletivo, implicando um aumento na massa salarial do total dos trabalhadores entre os 0,2% e os 0,3%.

Estas portarias – assinadas pelo secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita – entram em vigor no quinto dia após a sua publicação em Diário da República e a tabela salarial e cláusulas de natureza pecuniária previstas na convenção produzem efeitos a partir de 01 de agosto ou 01 de setembro de 2017, dependendo do setor.

As convenções coletivas definem salários mínimos por cada categoria e outras condições de trabalho, a nível setorial ou de empresa, e quando só se aplicam, numa primeira fase, às empresas e aos trabalhadores filiados nas associações patronais e sindicais que as assinaram.

Para que sejam alargadas a outras empresas do setor é necessário que o Governo publique uma portaria de extensão.

O Governo anunciou no final de maio que as portarias de extensão passam a ser publicadas em 35 dias úteis, uma reivindicação tanto de sindicatos como de patrões.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portarias de extensão aumentam salários entre 1,3% e 5% em cinco setores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião