Broadcom prepara oferta de 100 mil milhões pela Qualcomm

A proposta de compra da Qualcomm pela Broadcom poderá estar prestes a ser anunciada, avançou a Bloomberg. O negócio poderá valer 100 mil milhões de dólares e ser o maior no setor da tecnologia.

O negócio da compra da Qualcomm pela gigante norte-americana Broadcom poderá estar mais perto de se realizar do que o inicialmente avançado. De acordo com a agência Bloomberg, a empresa estará a alinhavar uma proposta de compra da fabricante dos processadores do iPhone no valor de 100 mil milhões de dólares, ou 70 dólares por ação. Segundo fontes próximas do processo, a oferta será provavelmente anunciada nos próximos dias.

A confirmar-se, uma fusão da Broadcom com a Qualcomm dará origem à terceira maior empresa do mundo dedicada ao fabrico de chips, ficando apenas atrás das rivais Intel e Samsung Electronics. Será mesmo líder no campo mobile, responsável pelos processadores de mil milhões de smartphones vendidos a cada ano, refere a agência. Um negócio desta envergadura ultrapassa mesmo a compra da EMC pela Dell em 2015, por 67 mil milhões de dólares, até aqui considerada a maior operação de aquisição do setor tecnológico.

Esta sexta-feira, a possibilidade de um negócio entre a Broadcom e a Qualcomm foi uma notícia bem recebida nos mercados. Os títulos da Broadcom valorizaram 5,45% para 273,63 dólares, enquanto os da Qualcomm dispararam 12,71% para 61,81 dólares, a maior subida da empresa desde outubro de 2008. Após esta valorização, a Qualcomm fica avaliada em cerca de 92 mil milhões de dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Broadcom prepara oferta de 100 mil milhões pela Qualcomm

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião