Trump: Acordo comercial com o Japão “não é justo nem aberto”

  • Lusa
  • 6 Novembro 2017

Em visita oficial ao Japão, Donald Trump deixou um aviso: o presidente dos EUA quer que o acordo comercial entre os dois países seja revisto. O republicano alega que o acordo prejudica o país.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que se encontra em viagem no Japão, defendeu esta segunda-feira a negociação de um novo tratado comercial com o país, após “muitas décadas” de “gigantesco défice comercial”.

Durante um encontro com líderes empresariais japoneses e norte-americanos, Trump afirmou que o comércio dos Estados Unidos com o Japão “não é justo nem aberto (…) não é livre nem recíproco” e defendeu que tal seja “novamente negociado” de “forma amigável”.

O Presidente norte-americano lamentou que os Estados Unidos sofram com uma situação de “gigantesco défice comercial” de quase 70 mil milhões de dólares (60 mil milhões de euros anuais), com a qual “o Japão ganhou durante muitas décadas”.

Neste sentido, recordou que milhões de carros japoneses são vendidos no seu país todos os anos, mas não há praticamente nenhum veículo norte-americano a ser vendido no Japão.

Em relação à saída dos Estados Unidos do Acordo Transpacífico de Cooperação Económica (TPP), Trump defendeu a decisão. “Teremos mais comércio, como nunca teríamos com o TPP”, afirmou perante executivos de empresas japonesas como Nissan, Honda, Maza e Mitsubishi, e também norte-americanas como a Boeing e a Morgan Stanley.

O Presidente dos Estados Unidos chegou no domingo ao Japão, a primeira paragem de uma viagem pela Ásia, que o levará também à Coreia do Sul, China, Vietname e Filipinas. Após a reunião com os empresários, Trump e a primeira-dama assistiram a uma cerimónia de boas-vindas e encontraram-se com os imperadores do Japão, Akihito e Michiko.

Japão regista várias ameaças de bomba durante visita de Donald Trump

Várias ameaças de bomba foram registadas esta segunda-feira no Japão, onde é raro acontecerem, durante a visita ao país do Presidente norte-americano, Donald Trump. Não foi encontrada nenhuma prova a existência de explosivos nem feita qualquer detenção, segundo a polícia japonesa. Os alertas aconteceram em vários locais no oeste do Japão, longe de Tóquio, onde Trump está hoje.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump: Acordo comercial com o Japão “não é justo nem aberto”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião