Conselho de Saúde alerta para dívida de mil milhões no SNS

  • ECO
  • 8 Novembro 2017

Os conselheiros do Ministério da Saúde alertam o Governo que a dívida a fornecedores continua a aumentar devido à constante suborçamentação no Orçamento do Estado.

O Conselho Nacional de Saúde quer que Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde, avance com um orçamento plurianual capaz de resolver a dívida aos fornecedores que já excede os mil milhões de euros. Segundo o Público (acesso condicionado) desta quarta-feira, esta é a recomendação deixada por este órgão independente consultivo ao Governo e à Assembleia da República numa altura em que se discute o Orçamento do Estado para 2018.

O problema da suborçamentação na saúde tem de acabar e, para isso, é preciso delinear orçamentos plurianuais — é esta a principalmente recomendação do Conselho Nacional de Saúde (CNS). “Na saúde ou as coisas se pensam com o mínimo de antecedência ou então andamos sistematicamente a decidir em cima do joelho”, afirma o presidente do CNS, Jorge Simões, num relatório interno citado pelo Público.

Uma das consequências desta política de suborçamentação “que acontece consecutivamente” é o nível elevado de dívida aos fornecedores. Em média, a despesa na saúde tem sido 1,5% superior ao que estava inicialmente orçamentado pelo Executivo. “Temos uma suborçamentação que não andará longe dos mil milhões de euros“, assinala o presidente do CNS, referindo que “há espaço para melhorias de eficiência”.

O Conselho Nacional de Saúde alerta ainda que cada vez mais são os portugueses a pagar diretamente do seu bolso — esta fatia corresponde a cerca de 28% do total dos gastos.

Comentários ({{ total }})

Conselho de Saúde alerta para dívida de mil milhões no SNS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião