Gates, Bezos e Buffett concentram a mesma riqueza que metade da população dos EUA

  • ECO
  • 9 Novembro 2017

Josh Hoxie, um dos co-autores do relatório Billionaire Bonanza, afirma que "tão pouco dinheiro concentrado em tão poucas mãos (...) não é uma má economia, é uma crise moral".

Os três mais ricos dos Estados Unidos — Bill Gates, Jeff Bezos e Warren Buffett — são tão ricos quanto a metade mais pobre da população do país. A fortuna combinada ascende aos 248,5 mil milhões de dólares, a mesma quantia quando somada a riqueza dos 160 milhões de norte-americanos mais pobres. O Institute for Policy Studies fala de uma “crise moral”, avança o The Guardian esta quinta-feira.

Segundo o relatório Billionaire Bonanza, o instituto norte-americano alerta para um crescimento das desigualdades sociais, apontando para as recentes medidas tomadas pela Administração de Donald Trump, nomeadamente o corte de impostos sobre os rendimentos mais elevados, que atribuem 80% dos benefícios fiscais para 1% dos agregados familiares mais ricos. “Agora é altura de agir na redução da desigualdade, e não nos cortes dos impostos para os muito ricos”, afirma Chuck Collins, co-autor do documento.

Collins avançou mais comparações. Segundo o mesmo relatório, as 400 pessoas mais ricas na tabela publicada pela revista Forbes têm uma riqueza superior ao PIB do Reino Unido, mais do que o rendimento dos 64% da população mais pobres dos Estados Unidos, correspondente a cerca de 204 milhões de pessoas. “São mais pessoas que a população do Canadá e do México juntos”, acrescenta.

Os autores referem ainda o ressurgimento de um movimento de “anti-desigualdade”, à semelhança do que se passou no país há cem anos. Nos Estados Unidos, um em cada cinco lares vive naquilo a que o relatório identifica de uma “nação debaixo de água”, com riqueza a nível zero ou abaixo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Gates, Bezos e Buffett concentram a mesma riqueza que metade da população dos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião