Pitch U: A empresa do último dia de Web Summit é…

Esta empresa suíça quer que mine moeda virtual com a sua atividade diária para depois a trocar por bens e serviços numa loja própria. O próximo passo é entrar na blockchain.

Para produzir bitcoin ou ethereum é preciso um arsenal de equipamento como poucos têm acesso. Mas para produzir — ou minar — a moeda virtual da Ufity só é preciso andar. Ou correr. Ou fazer qualquer movimento. Esta startup suíça, que esteve em exposição no último dia do Web Summit, quer transformar a sua atividade física numa moeda própria, os boosts, que depois poderá servir para comprar comida ou contratar um serviço.

A aplicação da Ufity recolhe todos os movimentos feitos pelo seu utilizadores, converte-os em boosts e guarda-os numa carteira virtual. Com a moeda, pode comprar bens e serviços na loja da aplicação ou, um dia, trocá-la por outra moeda. Tudo para lutar contra o sedentarismo e a obesidade, recompensando as pessoas pela sua atividade.

“Gostávamos de entrar na blockchain e fazer uma ICO (oferta pública inicial de moeda) para sermos a primeira moeda virtual verde do mundo que pode trocar por qualquer outra moeda”, explica ao ECO a CTO da empresa. “Esta é a nossa ideia global. É saudável, ajudamos as pessoas a mexerem-se, recompensamos as pessoas pela sua atividade e estamos a lutar contra a obesidade.”

Comentários ({{ total }})

Pitch U: A empresa do último dia de Web Summit é…

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião