Só este ano já foram feitos três jantares no Panteão Nacional

  • ECO
  • 13 Novembro 2017

O jantar de encerramento da Web Summit não foi caso único este ano, sendo já o terceiro. Desde 2002, já se realizaram dez jantares no monumento e a diretora teve já de recusar uma passagem de ano.

Só no Corpo Central do Panteão Nacional, já foram realizados três jantares durante este ano de 2017, ficando de fora todos aqueles que se passaram nas restantes zonas do monumento disponíveis para aluguer — Coro Alto, Sala Sul, Terraço e Adro. O jantar da Web Summit que decorreu na passada sexta-feira, e que tem causado várias reações desde então, terá sido também o décimo a decorrer desde 2002.

As contas são da Direção-Geral do Património Cultural e foram confirmadas ao jornal Público, que avança também que Isabel Melo, diretora do Panteão, indeferiu sumariamente um requerimento para a realização de um jantar de passagem de ano no mesmo espaço, por este parecer de “gosto duvidoso”.

O caso da NAV, uma empresa pública, já tinha sido reportado pelos meios de comunicação social, bem como o jantar que retratou o imaginário de Harry Potter no monumento nacional, contudo a lista de eventos decorridos desde vai até aos dez. Em declarações ao diário, Isabel Melo considera que “o que aconteceu na sexta-feira foi um jantar, entre outros que se realizam aqui, no Corpo Central do monumento de acordo com o regulamento que está em vigor”.

A realização de vários eventos no monumento que serve de última casa a nomes tão importantes da história de Portugal como Manuel de Arriaga ou Sophia de Mello Breyner Andresen foi também confirmada pela empresa de catering Casa do Marquês, que em 2013 realizou no mesmo espaço um jantar para a empresa Dynamic & Partners.

O jantar de f.ounders pós Web Summit no Panteão Nacional não foi propriamente um segredo bem guardado, visto que estava na agenda do evento enviada por email na semana anterior à conferência pelos que integram aquele grupo que inclui fundadores de empresas e terá sido também enviada a membros do Governo, apurou o ECO. O programa do f.ounders foi também distribuído, em mão, em alguns dos eventos nos quais participaram membros do Executivo.

Depois das críticas do Executivo, do Presidente da República e da oposição, o CEO do Web Summit pediu desculpa aos portugueses, reforçando que nunca quis ofender ninguém com a realização do jantar no monumento nacional que homenageia alguns dos mais reconhecidos nomes da História de Portugal.

O ECO quer agora saber qual é a opinião dos seus leitores a propósito deste tema:

Comentários ({{ total }})

Só este ano já foram feitos três jantares no Panteão Nacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião