Câmara dos Representantes dos EUA aprova reforma fiscal de Trump

  • Lusa
  • 16 Novembro 2017

Proposta de Donald Trump que prevê profundos cortes de impostos para trabalhadores e empresas foi aprovada esta quinta-feira pela Câmara dos Representantes.

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou hoje a proposta de reforma fiscal impulsionada pelo Presidente Donald Trump, que prevê profundos cortes de impostos para trabalhadores e empresas.

A votação refletiu a maioria republicana na Câmara baixa, com 227 votos a favor, todos republicanos, e 205 contra.

“O que estamos a fazer hoje não é determinar o sistema fiscal que vamos aplicar, o que estamos a fazer é determinar o género de país que vamos ter”, assegurou pouco antes da votação o congressista republicano Paul Ryan, presidente da Câmara e um dos principais mentores da proposta.

O plano, que ainda deverá ser votado no Senado para aprovação definitiva, incluiu uma baixa do imposto de sociedade, pago pelas empresas, de 35% a 20%, e reduz para quatro os atuais sete escalões de impostos.

Ryan insistiu que o plano implica um “alívio real” para a classe média e sustentou que as poupanças para uma família típica norte-americana serão de 1.182 dólares (1.000 euros) por ano.

O Presidente Trump, que designou esta reforma como “o maior acontecimento fiscal da história do país”, visitou hoje o Congresso para se reunir com os deputados antes do voto.

Em simultâneo com a Câmara, o Senado está a elaborar uma proposta paralela, com algumas alterações e que deverá ser submetida a votação em dezembro, num órgão onde os republicanos possuem uma maioria mais frágil, aguardando-se dificuldades para que seja ratificada.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Câmara dos Representantes dos EUA aprova reforma fiscal de Trump

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião