2.462 tweets depois: um ano de Trump como Presidente dos EUA

  • Tiago Varzim
  • 8 Novembro 2017

Foi há um ano que Trump arrecadou mais lugares no colégio eleitoral, derrotando Hillary Clinton. Um ano depois, o ECO recorda os tweets que marcam a presidência do empresário norte-americano.

O Twitter é uma espécie de Diário da República para o atual Presidente dos Estados Unidos. Donald Trump usa frequentemente a rede social para deixar recados, anunciar medidas, criticar ou elogiar tudo e todos. Recentemente, a sua conta até foi suspensa durante uns minutos por um funcionário da empresa que estava de saída. Mas há muitos tweets a recordar do ‘covfefe‘ à acusação de que Obama plantou escutas na Trump Tower.

Desde 8 de novembro de 2016, Trump já tweetou 2.642 vezes. Uma contabilização feita pelo arquivo online da conta de Twitter @realDonaldTrump revela que entre as palavras mais usadas pelo Presidente dos Estados Unidos estão “loser” (234 vezes), “dumb” (222 vezes), “terrible” (204 vezes), “stupid” (183 vezes) e “weak” (156 vezes). Entre as expressões mais usadas está “fake news” (142 vezes). Já o alvo preferido de Trump é Obama: 64 tweets dedicados ao ex-Presidente dos EUA.

O que Trump escreve no Twitter tem tanto impacto que existe uma aplicação para quem investe nos mercados quando o Presidente faz um tweet sobre algo que possa influenciar as ações das cotadas. Esta quarta-feira o responsável da campanha digital de Donald Trump corroborou a teoria de que o Twitter é essencial para o atual Presidente dos EUA. Para ser reeleito em 2020, basta que continue a tweetar, disse Brad Pascale, no Web Summit.

Nomeações

Foram várias as nomeações (ou demissões) anunciadas por Donald Trump no Twitter, além de muitas vezes anunciar quando irá fazer certos anúncios. Da nomeação do diretor do FBI, depois da saída de James Comey, à saída de Reince Priebus como chefe de gabinete da Casa Branca e a entrada do então secretário de Estado, John Kelly.

Covfefe!?

É um tweet, entretanto, eliminado, mas que os internautas não deixaram escapar. Este foi um dos momentos mais estranhos que ocorreram no Twitter de Trump. Recorde-se que o tweet surge depois de o Presidente ter despedido o diretor de comunicação da Casa Branca, Michael Dubke. A explicação mais plausível é a de que Donald Trump queria, na realidade, escrever press coverage, ou seja, “cobertura de imprensa”.

O mundo andou às voltas para perceber qual é o significado de ‘covfefe’ e até o próprio Presidente desafiou a internet, mesmo depois de ter apagado o tweet.

Acusação de escutas

Sem citar nenhuma fonte, o recente empossado Presidente dos EUA acusou o seu antecessor de colocar escutas na Trump Tower antes das eleições norte-americanas. “Terrível”, classificou. Mais tarde, Kellyane Conwey, a conselheira de Donald Trump, afirmou numa entrevista que Barack Obama terá utilizado diversos métodos de vigilância na Trump Tower, incluindo um micro-ondas. Barack Obama negou tais acusações e o caso avançou para o Congresso, onde este assunto foi incluído na investigação acerca da influência russa nas passadas eleições, a decorrer atualmente.

Apprentice e Arnold Schwarzenegger

O Presidente dos Estados Unidos não resistiu a comentar a prestação de Arnold Schwarzennegger no papel que era antes seu. Trump afirmou mesmo que este fora despedido por causa das audiência e disse estar triste com o fim do programa de televisão.

Coreia do Norte: The Rocket Man

“The Rocket Man”. É assim que o Presidente dos EUA se refere a Kim Jong Un. São vários os tweets sobre a Coreia do Norte que acusam o líder norte-coreano de ser “louco”. Trump afirmou ainda que “discutir não é a solução” e deu a entender que a solução seria “destruir tudo”. É caso para dizer que, tal como os mísseis disparados por Pyongyang, os tweets de Trump também têm um potencial de destruição massiva.

Proibição de militares transgénero

Numa série de tweets em cadeia, Donald Trump anunciou que “depois de consultar os meus generais e militares especialistas”, decidiu que não deverá ser aceite qualquer militar transgénero. Esta foi uma das decisões de Trump mais polémicas.

11 minutos sem Twitter

Foram apenas 11 minutos, mas não passaram despercebidos. Um funcionário do Twitter que iria abandonar a empresa decidiu, na semana passada, suspender a conta de Donald Trump. 11 minutos depois, a empresa resolveu o problema, mas o presidente dos EUA não deixou passar o momento em branco, alegando que isto demonstrava que as suas palavras estão a ter um impacto.

Primeiro “perdão” de Trump

Em mais uma decisão polémica, Donald Trump decidiu perdoar os crimes de Joe Arpaio que tinha sido condenado pelos tribunais por causa das suas táticas agressivas perante imigrantes ilegais sem documentos. Arpaio tinha sido um apoiante acérrimo de Donald Trump durante a campanha presidencial.

Fake News? CNN!

Donald Trump recordou um dos momentos mais emblemáticos do seu percurso — quando foi à WWE — para ilustrar a sua relação com os media, em particular com a estação de televisão CNN. Apesar de já ter criticado praticamente todos os órgãos de comunicação social, exceto a FOX, o ataque mais constante tem sido com a CNN.

Wall Street sobe, sobe, sobe

As promessas de Trump sobre o alívio dos impostos para as empresas e a esperança de que o empresário vá facilitar, de várias formas, a vida dos bancos e dos agentes económicos levou a um subida exponencial de Wall Street. O S&P 500, por exemplo, já valorizou 21% desde que Trump foi eleito. O próprio Presidente dos Estados Unidos tem feito questão de sublinhar essa evolução.

Decreto anti-imigração

A medida de Trump para suspender a imigração e a cedência de vistos a indivíduos oriundos de “regiões propensas ao terror” já foi alterada várias vezes e combatida nos tribunais. Entre os vários capítulos desta história está um tweet de Donald Trump onde o Presidente dos EUA acusava os tribunais que impediram a entrada em vigor do seu decreto de colocarem em causa a segurança do país. “Vejo-vos no tribunal”, disse.

O muro da fronteira com o México

“O México vai pagar o muro”. Trump não tem dúvidas que vai cumprir esta promessa de campanha, mas os bloqueios têm vindo tanto do país vizinho como do próprio congresso. Mas Donald Trump não desistiu da ideia: “Dado que o México é uma das nações com mais crime, nós temos de ter um muro”.

Videoclip de Snoop Dogg

Nem as celebridades escapam. O rapper Snoop Dogg fez um vídeo onde aparece a apontar uma arma a um figurante vestido de Donald Trump. Teria feito o mesmo com o Presidente Obama? A questão foi feita por Trump no Twitter, seguida de um pedido de prisão para Snoop Dogg.

Meryl Streep? Sobrevalorizada…

Outra celebridade atacada por Donald Trump ainda este não tinha tomado posse foi a atriz Meryl Streep, depois do discurso que fez nos Globos de Ouro. Trump disse que a atriz norte-americana é “a mais sobrevalorizada de Hollywood” e acusou-a de ser uma ‘criada’ de Hillary Clinton.

Esta pequena lista de tweets é apenas uma amostra de tudo o que o Presidente dos Estados Unidos já publicou. Dos assuntos mais sérios aos mais ligeiros, podemos continuar a esperar a reação de Trump — agora com 280 carateres.

Comentários ({{ total }})

2.462 tweets depois: um ano de Trump como Presidente dos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião