O “Quem É Quem” da lista de Puigdemont para as eleições de 21 de dezembro

  • ECO
  • 19 Novembro 2017

A lista composta por quase 30 pessoas conta com a presença de quatro ex-conselheiros de Puigdemont, o antigo presidente da Assembleia Nacional Catalã e uma lista considerável de independentes.

A pouco mais de um mês das novas eleições para o Parlamento catalão, Carles Puigdemont completou esta sexta-feira — dia em que prazo terminava — a sua lista para concorrer novamente ao cargo do qual foi recentemente destituído.

A lista, intitulada Junts per Catalunya (Juntos Pela Catalunha), conta com quatro ex-conselheiros e poucos membros do partido de Puigdemont, o PDeCAT. A maior parte da lista é ocupada por candidatos independentes.

Jordi Sánchez, antigo presidente da Assembleia Nacional Catalã

O número dois de Puigdemont deixou o seu cargo na presidência da Assembleia Nacional Catalã para integrar o Junts per Catalunya. Jordi Sánchez está em prisão preventiva desde 16 de outubro por sedição e por ter estado na organização do cerco ao comité judicial nas vésperas do referendo de 1 de outubro. Segundo o El País, Sánchez é criticado pelo seu estilo menos fervoroso, quando comparado com a sua antecessora, Carme Forcadell. A partir da prisão de Soto del Real, o número dois de Puigdemont dirigiu-se aos membros da assembleia a anunciar a sua renúncia ao cargo.

Aceitei o pedido do presidente Puigdemont de assumir com ele e outras pessoas o desafio de renovar a maioria parlamenta e do Governo do nosso país.

Jordi Sánchez

Ex-presidente da Assembleia Nacional Catalã

“Talvez por isto e pelas circunstâncias excecionais que o país vive desde 27 de outubro – quando o Parlamento declarou a independência – anuncio que aceitei o pedido do presidente Puigdemont de assumir com ele e outras pessoas o desafio de renovar a maioria parlamenta e do Governo do nosso país”, afirmou Sánchez, citado pelo El Mundo. O mesmo realçou que aceitou o convite, em nome da “legítima defesa da república catalã”.

Os quatro ex-conselheiros na lista de Puigdemont

Na sua recandidatura ao Governo da Catalunha, Carles Puigdemont conta com os quatro antigos conselheiros: dois acompanham-no atualmente em Bruxelas e constam do mandato de captura internacional emitido por Madrid. Os outros dois foram detidos. Todos eles são acusados de rebelião, sedição, fraude, desobediência e prevaricação.

Carla Ponsatí, ex-conselheira da Educação

Carla Ponsatí abdicou do seu cargo na direção da universidade de St Andrews, na Escócia, para se juntar à Assembleia Nacional Catalã. No dia do referendo independentista, a ex-conselheira impediu a entrada de agentes policiais no edifício do departamento da Educação catalã, onde tinham instalado cinco mesas eleitorais. Em 2013, Ponsatí denunciou o ministério da Educação espanhol por não ter renovado o seu cargo como professora convidada na Cátedra Príncipe das Astúrias na Universidade de Georgetown, alegadamente pelas suas ideias políticas.

Lluís Puig i Gordo, ex-conselheiro da Cultura

Autor: Rubén Moreno

Autor de livros sobre cultura catalã e galardoado com o Prémio Nacional de Dança de 1984, Lluís Puig ocupou o cargo de conselheiro da Cultura da Catalunha em julho deste ano, após ter assumido a direção-geral responsável pela promoção cultural tradicional e popular na região autónoma. Na passada segunda-feira, Puig recusou a partir de Bruxelas que o Governo não estava preparado quando avançou com a proclamação da independência “Fizemo-lo conscientemente”, cita o La Vanguardia. “Talvez a única coisa que podemos dizer é que não sabíamos a maquinaria monstruosa que tínhamos pela frente”, admitiu.

Jordi Turull, ex-porta-voz e antigo conselheiro da presidência

Turull tem sido um dos maiores defensores do processo independentista. Em setembro, o antigo conselheiro mostrava as suas intenções de avançar com um referendo: “Celebraremos o referendo porque é o nosso contrato com os cidadãos da Catalunha”, afirmou, citado pelo OkDiário. De forma a proteger o seu património, Turull colocou a sua metade do empréstimo da casa em nome da mulher, a quem também atribuiu o cargo de titular da sua conta bancária. Jordi Turull está detido na prisão de Estremera. Após o referendo de 1 de outubro, o antigo conselheiro defendeu a posição das autoridades policiais catalãs, os Mossos, afirmando que os agentes “fizeram o que teve de ser feito“.

Josep Rull, ex-conselheiro do Território e Sustentabilidade

Josep Rull conta com uma carreira no Parlamento catalão de 20 anos e acompanha o governo de Puigdemont desde janeiro de 2016. A 30 de outubro, Rull afirmou que não assumiria o cargo de conselheiro, mas antes de ministro da república catalã. O antigo detentor da pasta do Território e da Sustentabilidade foi detido a 2 de novembro e também está na prisão de Estremera. Numa carta enviada esta sexta-feira, Rull alega que lhe foram colocadas grilhetas aquando da sua detenção. “Os primeiros momentos após a ordem de detenção foram brutais”, escreveu, citado pelo eldiário. O mesmo chegou a avançar que foi alvo de “escárnio” por parte dos funcionários prisionais.

Que outros nomes constam na lista do Junts per Catalunya

  • Elsa Artadi, antiga diretora-geral da Coordenação Interdepartamental da Generalitat;
  • Ferran Mascarell, ex-delegado da Generalitat em Madrid;
  • Laura Borràs, diretora do Instituto de Letras Catalão;
  • Aurora Madaula, historiadora;
  • Francesc de Dalmases, diretor das revistas Catalan International View y ONGC;
  • Eduard Pujol, director da rádio RAC1;
  • Martí Anglada, jornalista;
  • Héctor López Bofill, professor de direito constitucional;
  • Joan Lluis Bozzo, ator e diretor de teatro;
  • Gerard Esteva, presidente da União de Federações Desportivas da Catalunha e do Comité Olímpico Catalão;
  • Oriol Amat, ex-deputado de Junts pel Sí;
  • Lluís Font i Espinós, presidente do Conselho Escolar da Catalunha;
  • Manel Puosa, sacerdote conhecido por pare Manel;
  • Pilarin Bayès, cartoonista;
  • Salvador Cardús sociólogo, jornalista e escritor;
  • Victòria Molins, da Companhia de Santa Teresa de Jesus;
  • Jaume Cabré, filólogo e escritor;
  • Magda Oranich, advogada;
  • Angel Castiñeira, professor;
  • Joaquim Torra, advogado, editor e escritor;
  • Marina Geli, ex-conselheira do Salut.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O “Quem É Quem” da lista de Puigdemont para as eleições de 21 de dezembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião