Ryanair vai criar 200 empregos de engenharia

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 20 Novembro 2017

Novos empregos vão surgir à medida que a companhia aérea vai recebendo 50 novas aeronaves nos próximos 12 meses. Na quinta-feira decorre um 'open day' de engenharia em Dublin.

A Ryanair vai criar 200 novos empregos em engenharia por toda a Europa. Na próxima quinta-feira, a companhia avança com um open day de engenharia em Dublin para preencher um conjunto de vagas.

A Ryanair “anunciou hoje que irá criar 200 novos empregos em engenharia por toda a Europa, à medida que vai recebendo 50 novas aeronaves nos próximos 12 meses”, revela a companhia aérea em comunicado enviado às redações.

No dia 23 de novembro decorre um open day de engenharia no Hotel Maldron, no aeroporto de Dublin, para preencher um conjunto de vagas nesta área, entre as quais:

  • Engenheiros de Serviços Técnicos
  • Engenheiros de Simulador
  • Standards Técnicos e Formação
  • Planeamento de Frota
  • Engenheiros de Projeto
  • Engenheiros para programa de graduados
  • Supervisores de Área
  • Compras e Materiais
  • Manutenção
  • Engenheiros de aeronaves juniores

O comunicado realça a “fase bastante entusiasmante de expansão” que atravessa o departamento de engenharia da Ryanair, agora que a frota se prepara para crescer de 430 para 585 aeronaves até ao ano 2024, “incluindo a introdução dos inovadores Boeing 737 MAX 200 em 2019”.

“2017 foi até à data o nosso ano mais movimentado em termos de recrutamento, e continuamos a investir fortemente em talento para o futuro, à medida que vamos recebendo as nossas novas aeronaves Boeing”, afirma o Chief People Officer da Ryanair, Eddie Wilson, citado no comunicado. “Com o aumento do nosso número de aeronaves de 430 para 585 nos próximos 7 anos, Ryanair irá recrutar mais de 200 novos Engenheiros”, acrescenta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ryanair vai criar 200 empregos de engenharia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião