CCA ONTIER adota assinatura digital com a LegalVision

A CCA ONTIER recorreu a solução desenvolvida pela LegalVision, uma legaltech luso-francesa que desenvolveu um software - LEGALVISIONPRO.pt - especializado na digitalização.

A CCA ONTIER adotou a assinatura digital em documentos jurídicos “para melhorar a eficiência operacional e reduzir custos para os clientes”, segundo comunicado do escritório enviado à Advocatus. Para tal, a CCA ONTIER recorreu a solução desenvolvida pela LegalVision, uma legaltech luso-francesa que desenvolveu um software – LEGALVISIONPRO.pt – especializado na digitalização e automatização de processos e documentação jurídica.

“Sem papel e caneta e à distância de poucos cliques, os mesmos documentos são assinados de forma desmaterializada pelas várias partes em distintos pontos geográficos. Com esta medida prevemos não só aumentar a otimização de processos, como terminar com as deslocações de clientes para assinar documentos”, segundo o mesmo comunicado. Este passo insere-se num plano de digitalização em curso da CCA ONTIER a concretizar até 2018, onde contam com a ajuda da LegalVision “no desenvolvimento de soluções cada vez mais adaptadas às necessidades dos nossos clientes”, refere Domingos Cruz, managing partner da CCA ONTIER.

“Através do nosso software LegalVisionPRO.pt, o processo de assinatura de atos jurídicos torna-se assim mais rápido e simples, permitindo ganhos de produtividade importantes para os advogados que o utilizam. Assim, pretendemos terminar com as deslocações de clientes e advogados no ato de assinatura, tornando todo o processo extremamente simples e célere”, refere Gonçalo Alves, CEO da LegalVision.

A LegalVision é uma LegalTech que está presente no mercado europeu há dois anos, contando atualmente com mais de 3.500 clientes. Com um crescimento mensal superior a 30%, a LegalVision entra, desta forma, no mercado português com uma oferta de serviços focada para as necessidades dos escritórios de advogados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CCA ONTIER adota assinatura digital com a LegalVision

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião