Bruxelas pondera exportar Simplex para a UE

  • ECO
  • 2 Dezembro 2017

As autoridades europeias vão realizar dois estudos para avaliarem o impacto do Simplex. Se o resultado for positivo, Bruxelas poderá vir a aplicar este programa noutros países da UE.

O Serviço de Reformas Estruturais da União Europeia vai realizar dois estudos para avaliar o impacto dos programas Simplex na administração pública e na economia. Se o resultado for positivo, Bruxelas poderá aprofundar estas medidas para que sejam aplicadas em todos os países da região.

O Público (acesso condicionado) avança que a ideia de fazer estes estudos partiu da Comissão Europeia inspirado nos resultados atingidos pela avaliação anterior encomendada pelo Governo português aos dois casos, efetuada respetivamente pela Universidade Nova de Lisboa e pela Universidade de Coimbra. “Quando apresentámos o estudo da Nova, o Serviço de Reformas Estruturais da União Europeia mostrou interesse”, explicou a secretária de Estado adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, ao jornal.

Os estudos sobre o Simplex focam-se em quarenta medidas plurianuais deste programa de desmaterialização e de modernização da Administração Pública, 33 do Simplex de 2017 e sete de 2016.

A secretária de Estado refere ainda que esta análise custará “250 mil euros, integralmente pagos por este serviço da Comissão Europeia, quando o da Nova custou 40 mil euros”. E será realizada por “um avaliador internacional, um consultor internacional, escolhido em concurso público organizado pelo Serviço de Reformas Estruturais da União Europeia”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bruxelas pondera exportar Simplex para a UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião