“Era da paciência estratégica acabou”, diz conselheiro de Segurança de Trump

  • Lusa
  • 3 Dezembro 2017

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, H.R. McMaster, diz que "em breve, Trump revelará os pormenores da sua nova estratégia". Vai centrar-se em proteger "o nosso território".

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, H.R. McMaster, declarou que os tempos de “paciência estratégica” acabaram e que o Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciará brevemente uma nova estratégia para aumentar “a influência externa” do país.

“Em breve, o Presidente revelará os pormenores da sua nova estratégia, e posso dizer-vos que se centrará em proteger o nosso território, aumentar a nossa prosperidade, preservar a paz através da força e, finalmente, aumentar a influência dos Estados Unidos”, disse McMaster.

O tenente-general, que hoje falava na quinta edição do Fórum Anual Reagan sobre Segurança, realizado em Simi Valley, no estado da Califórnia, mostrou-se taxativo ao declarar que “a era da paciência estratégica acabou”.

De acordo com o conselheiro, a intenção de Trump não é reduzir as medidas de segurança nacional, nem uma “ideologia rígida”, mas a defesa da “essência dos interesses nacionais”.

Estas palavras contrastam com o discurso habitual do secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, que até agora defendeu a procura de soluções diplomáticas para a crescente tensão entre os Estados Unidos e países como a Coreia do Norte e o Irão.

Foi precisamente essa postura conciliadora do responsável da pasta dos Assuntos Exteriores que lhe custou uma série de desencontros com Trump, que na sexta-feira pôs fim a rumores sobre a saída de Tillerson que ele próprio alimentara na véspera.

“São notícias falsas”, escreveu o Presidente, na sua conta da rede social Twitter.

Contudo, o facto de o conselheiro de Segurança Nacional ter hoje acusado os regimes da Coreia do Norte e do Irão de “violar a soberania dos seus vizinhos” e “exportar o terror para outras nações” está muito distante do conciliador discurso habitualmente utilizado por Tillerson.

A mudança de estratégia a que McMaster se referiu poderá ser interpretada como a decisão do chefe de Estado de tomar uma nova direção na política externa que o afastará de forma definitiva do chefe da diplomacia norte-americano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Era da paciência estratégica acabou”, diz conselheiro de Segurança de Trump

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião