Futuros da bitcoin arrancam em Wall Street e disparam 25%

Foram umas primeiras horas de negociação da bitcoin bastante atribuladas. A criptomoeda chegou a disparar 25% e por duas vezes foram desencadeados os travões automáticos para aliviar a volatilidade.

A bitcoin chegou a Wall Street e, nas primeiras horas de negociação na bolsa CBOE Global Markets, a criptomoeda chegou a disparar cerca de 25%, desencadeando automaticamente os travões que existem na bolsa para abrandar a volatilidade dos preços de um ativo. Foram momentos de euforia vividos este domingo com os operadores de mercado a registarem forte interesse dos investidores. O site da CBOE registou alguns problemas face à forte afluência.

“Foi muito fácil de negociar”, referiu Joe van Hecke, trader da Hall Trading, à agência Bloomberg. “Penso que vamos ter um mercado robusto nos próximos tempos”, frisou ainda.

Até ontem, quem quisesse investir em bitcoin só poderia fazê-lo através de mercados que não estão regulados, sendo que eram a procura e oferta nestas plataformas que movimentavam o preço da rainha das criptomoedas.

Os futuros da bitcoin que expiram em janeiro estavam a cotar nos 17.780 dólares pelas 12h57 horas de Hong Kong, acima dos 15.000 dólares com que iniciaram a sessão. De acordo com a Bloomberg, aproximadamente 2.300 contratos tinham sido trocados até àquele momento.

Como é habitual sempre que há oscilações acentuadas de preços nos mercados, a estreia da bitcoin ficou marcada pela ação dos travões automáticos da bolsa. O primeiro travão na negociação ocorreu cerca de duas horas e meia após o arranque da negociação dos futuros. O segundo foi desencadeado quatro horas depois.

"Foi muito fácil de negociar. Penso que vamos ter um mercado robusto nos próximos tempos.”

Joe van Hecke

Trader da Hall Trading

Estes travões são automaticamente acionados para abrandar a volatilidade, impedindo a realização de qualquer transação durante dois minutos, se os preços caírem ou subirem 10% ou, durante cinco minutos, se a oscilação for de 20%, segundo o site da CBOE.

“Até agora, observando o volume de transações de contratos de futuros da bitcoin, acreditamos que há procura decente e isso está a impulsionar o preço da moeda”, comentou Naeem Aslam, chefe da sala de mercados da TF Global Markets. “Os preços estão a subir ainda mais por causa do aumento da confiança”, acrescentou.

A bitcoin chegou à bolsa em plena euforia fora dos “circuitos” regulados. Na semana passada, chegou a valer a criptomoeda chegou a superar a barreira dos 17.000 dólares.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Futuros da bitcoin arrancam em Wall Street e disparam 25%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião