PS pede empréstimo de dois milhões ao Novo Banco

  • ECO
  • 13 Dezembro 2017

O partido, que vive um "cenário preocupante em termos económico-financeiros", deu como garantia uma hipoteca sobre 27 imóveis.

O Partido Socialista (PS) pediu empréstimos de dois milhões de euros ao Novo Banco, para liquidar um outro crédito e reforçar a situação de tesouraria, dando como garantia uma hipoteca sobre 27 imóveis detidos pelo partido. A informação foi avançada, esta quarta-feira, pela revista Sábado.

Segundo a revista, que teve acesso à escritura da hipoteca, os imóveis estão avaliados em 1,1 milhões de euros, valor que cobre apenas 55% do montante do empréstimo. A hipoteca garante as obrigações de dois contratos de financiamento: um de 500 mil euros e outro de 1,5 milhões.

O empréstimo de montante mais elevado destina-se à “liquidação de responsabilidades de apoio à tesouraria“, isto é, o empréstimo vai servir para liquidar outro contraído anteriormente. O segundo empréstimo, de 500 mil euros, resulta de uma alteração a um contrato já existente entre o Novo Banco e o PS, tratando-se de um reforço do montante emprestado.

O PS tinha, no final de 2016, um passivo de 942 mil euros. No relatório e contas desse ano, o partido reconhecia o “cenário preocupante em termos económico-financeiros”. Ainda assim, nesse ano, o PS pagou mais de 1.335 milhões de euros de dívidas a fornecedores, além de ter cumprido 27 planos de liquidação de dívida antiga. Este ano, restavam apenas seis destes planos para cumprir.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS pede empréstimo de dois milhões ao Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião