Yellen dá gás a Wall Street. Bitcoin cai 7%

O verde domina os índices norte-americanos esta quarta-feira. O acordo dos republicanos na reforma fiscal e a decisão da Fed de aumentar a taxa de juro contribuíram para o otimismo dos investidores.

O mercado dava como certa a subida da taxa de juro que a Fed veio anunciar esta quarta-feira: a subida de 25 pontos base levou o intervalo para de 1,25% a 1,5%. A decisão, assim como o acordo dos republicanos no corte de impostos, deram gás a Wall Street com os índices a quebrarem novamente recordes. Os futuros da bitcoin, criptomoeda que Yellen criticou, estão a desvalorizar mais de 7%.

O Dow Jones valorizou 0.33% para os 24.585,43 pontos e o Nasdaq subiu 0,2% para os 6.875,80 pontos. Contudo, o S&P 500 fechou na linha de água com uma ligeira derrapagem de 0,05% para os 2.662,85 pontos. Já os futuros de janeiro da bitcoin transacionados no CBOE estão a desvalorizar mais de 7%, após a presidente da Fed ter classificado a bitcoin de “um ativo altamente especulativo”.

A decisão da Fed de subir a taxa de juro veio com uma atualização de previsões que revê em alta o PIB para o próximo ano. A entidade ainda liderada por Janet Yellen vê a economia norte-americana a crescer 2,5% em 2018, acima dos 2,1% inicialmente estimados. Nesse ano a Reserva Federal prevê que existem mais três subidas na taxa diretora. Contudo, o mercado de trabalho vai arrefecer e os problemas com a inflação continuam, apesar de a meta de 2% estar mais perto de ser alcançada.

A contribuir negativamente esteve um dado económico: o Departamento do Trabalho norte-americano tinha anunciado esta quarta-feira que a inflação desacelerou, ao contrário do esperado. A inflação core continua aquém do objetivo de 2% da Fed. Durante este ano, a inflação apenas foi igual ou superior a 2% no primeiro trimestre. Até novembro a inflação foi desacelerando e fixou-se nos 1,7%.

Além dos juros, os investidores ficaram a saber que os republicanos já chegaram a acordo para avançar com uma reforma fiscal que deverá ser votada na próxima semana. O plano prevê um corte nos impostos para as empresas e particulares, mas a entidade que avalia o Orçamento já veio dizer que quem vai sofrer são os mais pobres. Além disso, a diminuição da receita fiscal aumentará o défice dos EUA em biliões de dólares.

O dia ficou ainda marcado pelo resultado das eleições no Alabama. O democrata Doug Jones (49,9%) conseguiu vencer por uma margem muito curta o republicano Roy Moore (48,4%), o candidato apoiado por Donald Trump que foi acusado de ter encontros com menores. Há 25 anos que nenhum democrata conseguia ser eleito para o Senado naquele estado. Esta eleição encurta a vantagem que o Partido Republicano tem no Senado (51-49).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Yellen dá gás a Wall Street. Bitcoin cai 7%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião