Zippy abre mais três lojas. Já tem 45 em Portugal

A Zippy está a reforçar a sua presença em Portugal com a abertura de mais três lojas. Em 2017, a insígnia de moda infantil da Sonae abriu sete, totalizando já as 45 lojas em território nacional.

A Zippy, marca de moda infantil do universo Sonae, continua a reforçar a presença em Portugal com a abertura de mais três unidades. Só este ano a insígnia da Sonae abriu sete novas unidades e remodelou integralmente outras cinco lojas, totalizando já as 45 unidades em Portugal. A nível mundial, a Zippy tem mais de 100 lojas repartidas por mais de 20 países.

Estas novas aberturas enquadram-se na estratégia de crescimento da empresa e oferecem uma ampla gama de produtos para crianças, dos 0 aos 14 anos de idade, que contempla vestuário, calçado, interiores e puericultura.

As novas unidades da Zippy, ficam situadas no Alegro Alfragide, LouresShopping e na Galeria Comercial Jumbo de Famalicão, irão criar 21 novos postos de trabalho. Nestes espaços a Zippy vai ainda disponibilizar serviços especiais para os pais, nomeadamente workshops para grávidas, listas de nascimento, sessões de aconselhamento de puericultura e aluguer de bombas de aleitamento.

As novas tecnologias estão também ao serviço do cliente, havendo nas novas unidades ecrãs táteis digitais, que permitem aceder ao serviço gratuito “In Store Sales”. Um serviço que permite ao cliente consultar os mais de 4 mil artigos da marca e encomendar comodamente os produtos e tamanhos que pretender.

A abertura das três unidades conta ainda com uma sessão de promoções especiais, beneficiando as compras de 20% de desconto em talão em toda a loja, até dia 17 de dezembro.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Zippy abre mais três lojas. Já tem 45 em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião