Juros da dívida renovam mínimos à boleia da Fitch

Os juros a dez anos da dívida nacional estão a cair 5,8 pontos base depois de a Fitch ter subido o rating de Portugal em dois níveis para o grau de investimento.

Os juros a dez anos estão em mínimos de abril de 2015. Na passada sexta-feira, a agência de notação financeira Fitch decidiu elevar a dívida nacional a BBB, uma subida de dois níveis que retirou a dívida portuguesa de “lixo”. Esta segunda-feira os juros a dez anos registam uma queda de 5,8 pontos para os 1,782%. Os juros estão a cair em praticamente todos os prazos.

O otimismo em relação à dívida portuguesa tem sido frequente nos últimos meses — de tal forma que os juros portugueses ficaram abaixo dos italianos pela primeira vez desde 2009. Face a Espanha, os investidores continuam a pedir mais 23 pontos para comprar dívida portuguesa.

Na sexta-feira, a Fitch surpreendeu como a Standard & Poor’s tinha surpreendido em setembro. O rating português deixou de ser considerado “lixo” (BB+) e passou a ter um grau de investimento de qualidade (BBB) — ou seja, Portugal subiu dois níveis na classificação da Fitch — com um outlook estável.

Fonte: Bloomberg

A queda da dívida em 2017 e o excedente das contas externas pelo quinto ano consecutivo foram os motivos que levaram a Fitch a melhorar o rating português. Além disso, a agência de notação financeira reviu em alta as projeções para o PIB em 0,9 pontos percentuais: ao contrário do que tinha previsto em junho de 2017, a Fitch projeta agora um crescimento económico de 2,6% para este ano — uma estimativa igual à do Governo português e do Banco de Portugal –, mas antecipa uma desaceleração em 2018 para os 1,9%.

Além disso, a Fitch destacou as melhorias “significativas” no défice e as melhorias do sistema financeiro após a recapitalização da CGD e BCP e a venda do Novo Banco. Contudo, continuam a existir problemas ao nível do malparado. Além disso, com a nova classificação, Portugal está agora num clube de países que têm uma dívida significativamente inferior. A reversão da diminuição da divida pública em percentagem do PIB ou novos problemas no setor bancário podem levar a Fitch a piorar o rating da República.

Até ao final do ano, Portugal fará mais um reembolso de mil milhões de euros ao FMI, elevando para dez mil milhões o total reembolsado em 2017. Com mais este reembolso, ficará por pagar cerca de 5,3 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional.

Recentemente, o ministro das Finanças voltou a reforçar a ideia de que “a redução da dívida é absolutamente fundamental”.Há algumas componentes que são essenciais para garantir que estamos prontos e evitar a situação em que as nossas economias — não só a portuguesa — estavam em 2008. No caso português, hoje em dia, há um indicador absolutamente essencial que é a redução do peso da dívida no PIB”, afirmou Mário Centeno, que em breve será presidente do Eurogrupo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Juros da dívida renovam mínimos à boleia da Fitch

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião