Parlamento aprova resolução do PCP para apoio das micro, pequenas e médias empresas

  • Lusa
  • 21 Dezembro 2017

A Esquerda Parlamentar aprovou uma resolução do BCP para aumentar os apoios às micro, pequenas e médias empresas. PSD e CDS-PP abstiveram-se.

A esquerda parlamentar aprovou esta quinta-feira, com a abstenção do PSD e do CDS-PP em alguns dos artigos, uma resolução do PCP para concretizar um programa de desburocratização e aumentar os apoios às micro, pequenas e médias empresas.

O diploma do PCP prevê a criação de um regime de conta-corrente entre as micro, pequenas e médias empresas (MPME) e o Estado, tendo em vista “aliviar a tesouraria das empresas”. No caso de serem detentoras de crédito sobre o Estado, tal, segundo o PCP, deverá permitir “o acerto das suas obrigações tributárias”.

O PCP propõe também a adoção de medidas para que as linhas de crédito para as micro, pequenas e médias empresas anunciadas pelo Governo “sejam concretizadas com o acompanhamento do IAPMEI [Agência para a Competitividade e Inovação] quer na resolução de possíveis obstáculos à sua contratualização pelas empresas, quer no controlo das condições, prazos e juros exigidos pelas agências de crédito”.

Estas novas condições, para a bancada comunista, “devem traduzir de forma efetiva o volume de fundos públicos disponibilizados para a sua bonificação”. Em paralelo, PS, BE, PCP e PAN, rejeitaram uma resolução apresentada pela bancada do PSD, que teve o apoio do CDS-PP, para “a eliminação de problemas e bloqueios legais e administrativos que dificultam a vida às empresas”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Parlamento aprova resolução do PCP para apoio das micro, pequenas e médias empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião