O NIO ES8 é uma espécie de Tesla made in China

  • ECO + BONS RAPAZES
  • 26 Dezembro 2017

Já todos nos rendemos aos encantos da Tesla, que está a crescer a olhos vistos em todo o mundo. Qual é o único grande inconveniente da fabricante de Elon Musk? Exacto, o preço.

Claro que os chineses já perceberam isso antes de nós e arregaçaram logo as mangas. Tanto assim foi que aí está o primeiro modelo de produção em série da NIO, uma marca chinesa que promete ser uma réplica da Tesla com carros exclusivamente elétricos a preços mais acessíveis. E quando dizemos mais acessíveis, não estamos a falar de uns trocos. Vamos, então, conhecer o SUV ES8.

Depois de ter ficado conhecida pelo seu desportivo EP9, considerado o carro elétrico mais rápido do mundo, a NIO começa a ganhar cada vez mais notoriedade. O SUV ES8 chegará em breve ao mercado com dois motores elétricos alimentados por uma bateria de 70 kWh. Com uma potência de 480 kW (equivalente a 653 cavalos), vai dos 0 aos 100 km/h em apenas 4,4 segundos. Uma das grandes promessas, além dos preços mais competitivos, deste elétrico chinês, é o seu sistema de inteligência artificial (NOMI), que adapta as funções do carro às características de cada condutor, interagindo com este e os passageiros, graças a um conjunto de 23 sensores.

O preço vai rondar os 57,000€, havendo ainda a hipótese de se comprar o carro por 44.500€ e alugar a bateria por 165€/mês. Nada comparável aos 76.000€ de base de um Model S, ou aos 107.000€ de base de um Model X. Onde a NIO perde, claramente, terreno para a Tesla é no campo da autonomia. Enquanto o Model S é capaz de fazer à volta de 600 km com uma carga, o ES8 não vai além dos 355 km. Ainda assim, vale a pena estarmos atentos ao que se vai passar nos próximos tempos no mercado dos elétricos. A coisa promete!

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

O NIO ES8 é uma espécie de Tesla made in China

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião