EDP informa clientes de novos preços, mas não diz quanto sobem

  • ECO
  • 28 Dezembro 2017

"Os preços da eletricidade vão ser atualizados", diz a carta enviada pela EDP aos clientes do mercado liberalizado. Não diz se sobe ou desce. Vão subir, mas os clientes não sabem que o aumento é 2,5%.

A EDP vai aumentar os preços da energia dos clientes do mercado liberalizado. E está a informá-lo por carta, ou por email, dessa revisão das tarifas que terá efeitos a partir de 18 de janeiro. Contudo, em momento algum a empresa liderada por António Mexia faz referência ao agravamento de 2,5%. Fala apenas numa “atualização”.

“Os preços da eletricidade vão ser atualizados e continua a beneficiar do mesmo desconto”, refere a carta enviada pela elétrica liderada por António Mexia, a mesma que Miguel Stilwell de Andrade, administrador da EDP, apresentou como ferramenta para comunicar aos clientes a revisão em alta dos preços para os clientes do mercado liberalizado.

"Os preços da eletricidade vão ser atualizados e continua a beneficiar do mesmo desconto.”

EDP

Carta enviada aos clientes

“Com a publicação das novas Tarifas de Acesso às Redes pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos e a atualização dos custos de energia, os preços da eletricidade serão atualizados, mas o seu desconto mantém-se inalterado”, refere ainda esta carta. E conclui: “Pode consultar os novos preços e a data em que serão aplicados no fim desta carta”.

No final dessa mesma carta, além da identificação do código do cliente, surge a indicação do valor do kw/h e do custo da componente fixa da fatura, que representa a potência contratada, com um valor diário. No exemplo apresentado em baixo, apenas surge a indicação de que o kw/h será de 0,1569 euros, passando a potência a ter um custo diário de 0,2182 euros. Em momento algum existe a indicação de que os valores sobem 2,5%.

Para conseguir descobrir o aumento de 2,5%, anunciado pela elétrica num encontro com jornalistas, é necessário que os clientes da EDP do mercado liberalizado recorram às faturas que recebem para compararem os valores que são cobrados com os que vão ser atualizados no próximo ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP informa clientes de novos preços, mas não diz quanto sobem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião