Energéticas castigam Lisboa na última sessão do ano

  • Juliana Nogueira Santos
  • 29 Dezembro 2017

Nesta última sessão do ano, e seguindo a tendência semanal de perdas, o PSI-20 iniciou a sessão a desvalorizar à custa do setor energético. A pressão mais forte vem da EDP Renováveis.

A última sessão do ano não começa bem para o principal índice bolsista português. Esta sexta-feira, e seguindo a tendência semanal de perdas, o PSI-20 iniciou a sessão a desvalorizar 0,11%, à custa da pressão do setor energético. Nem mesmo os avanços do BCP e da Jerónimo Martins equilibram a bolsa.

Nesta semana em que a liquidez é tradicionalmente baixa, foram poucas as movimentações das cotadas nacionais nos primeiros dez minutos de negociação. Ainda assim, o destaque positivo vai para o BCP, que avança 0,30% para os 27,20 cêntimos — seguindo assim a cotar em máximos históricos — e para a Jerónimo Martins, que ganha 0,28% para 16,18 euros.

Os avanços destes pesos pesados nacionais não é suficiente para travar a pressão vendedora na maioria das cotadas, principalmente no setor energético. A queda maior é protagonizada pela EDP Renováveis, que cai 1,30% para 6,70 euros, seguindo-se a EDP, que cai 0,17% para 2,88 euros e a REN que desliza 0,33% para 2,45 euros.

Nem mesmo a petrolífera portuguesa aguentou a pressão do último dia do ano, caindo 0,19% para 15,52 euros. Ao mesmo tempo, os preços do ‘ouro negro’ avançam perto de 1%, com o West Texas Intermediate a galgar a barreira dos 60 dólares, avançando 0,62% para 60,21 dólares. O barril do Brent, que serve de referência à negociação nacional, avança 0,65% para 66,59 dólares.

Na Europa, a última negociação do dia também segue pintada de vermelho, com os principais índices a registarem perdas ligeiras. Em Paris, o CAC-40 perde 0,08%, em Frankfurt, o DAX resvala 0,12% e, em Madrid, o IBEX-35 desliza 0,01%. O agregador Stoxx 600 perde 0,01%.

(Notícia atualizada às 8h20 com mais informação.)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Energéticas castigam Lisboa na última sessão do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião