Da Porsche à Hawkers, estas foram as reportagens mais lidas em 2017

  • Rita Frade
  • 30 Dezembro 2017

Está a chegar ao fim mais um ano e, por isso, é tempo de recordar algumas das reportagens mais lidas em 2017.

Em 2017 contaram-se muitas histórias, não só sobre turismo ou tecnologia, mas também sobre empresas de sucesso: a ITEC, a Hawkers e a Gran Cruz são exemplo disso mesmo. Conheça algumas das reportagens mais lidas.

“As máquinas da Porsche são feitas nesta fábrica de Braga”

A ITEC faz algumas das máquinas e robôs usados por grandes fabricantes na construção de automóveis de luxo. Mas a empresa quer crescer e investir. E desenvolver mais tecnologia, de Braga para o mundo.

Carlos Rodrigues, um dos sócios da ITEC, inspeciona uma aparafusadora robótica já em fase final de construção.Flávio Nunes / ECO

“Livros: Quanto custa e como se publica em Portugal”

Tem um ou mais livros na gaveta, que gostava de ver publicados? O ECO desmistifica o panorama editorial português com os exemplos de cinco das maiores editoras.

Nós não publicamos por publicar. Publicar um livro é de uma grande responsabilidade e envolve um grande grau de compromisso da parte de todos.

Paulo Rebelo Gonçalves

Porto Editora

“Os três blogues salva-vidas do funcionário público”

Sem orientação dos serviços centrais, a Função Pública tem para onde se virar: a Internet onde colegas trocam dicas. Conheça os pequenos universos paralelos aos corredores do emprego no Estado.

“Hawkers: De um euro a 100 milhões através das redes sociais”

Redes sociais, influenciadores e uma loja online que vende para mais de 60 países: em três anos, a Hawkers vendeu cinco milhões de óculos de sol. Este ano, deverá faturar 100 milhões de euros.

Decidimos começar a nossa marca e tinha de ser rápido. Precisávamos de um bom nome, um bom logo e um produto. Fizemos tudo num dia e lançámos o site muito simples.

David Moreno

Cofundador da Hawkers

“Gran Cruz: 130 anos a limpar o pó do vinho do Porto”

No ano em que celebra o 130.º aniversário, a líder em exportações de vinho do Porto quer deixar claro que o caminho a seguir é o da inovação. Na calha estão, entre outros, dois projetos hoteleiros.

Jorge Dias, presidente executivo da Gran Cruz, fotografado na Quinta de Ventozelo-Douro.Jorge Simão

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Da Porsche à Hawkers, estas foram as reportagens mais lidas em 2017

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião