Folheie estes livros e aprenda a gerir as suas finanças

  • Juliana Nogueira Santos
  • 2 Novembro 2017

Neste Dia Mundial da Poupanças, as dicas vêm em capítulos compilados entre uma capa dura. O ECO escolheu cinco livros para folhear, ler e reler e manter as suas finanças bem organizadas.

Não há nada errado em precisar de algumas dicas para manter as contas em dia, principalmente se estas vierem organizadas em capítulos e entre capas duras. E como existem tantos livros que o querem ajudar, o ECO escolheu os cinco indispensáveis deste ano, que não só falam de assuntos habituais do nosso dia-a-dia, como as compras ou as contas mensais, mas também de opções a longo prazo como os investimentos ou a educação dos seus filhos.

Quanto custa a felicidade? Não é cara…

Se a felicidade é o objetivo da maioria dos seres humanos, o dinheiro é um dos fatores que mais pesa. No entanto, para Janine Madeira, especialista em poupança e autora do blog Poupadinhos & Com Vales, a felicidade não é cara e começa com pequenas poupanças no dia-a-dia. Desde as idas ao supermercado, as refeições, as contas mensais, até à saúde, a autora deixa dicas para poupar até seis mil euros anuais. Para além disso, o livro inclui vales de desconto no valor aproximado de 200 euros. Tudo para ser feliz.

“Ser Feliz Não é Caro” de Janine Madeira

  • Editor: A Esfera dos Livros
  • Preço: 14,20 euros na Wook

Em caso de emergência chame o Doutor Finanças

Tal como vai ao médico quando o seu corpo não se sente bem, também pode ir ao Doutor Finanças quando as suas finanças não estão saudáveis. Agora, para além disso, pode ter as prescrições médicas em sua casa para aprender a evitar dúvidas, reduzir gastos, a poupar e a investir. Nas páginas deste livro pode aprender-se a fazer um orçamento familiar, constituir uma poupança e renegociar créditos pessoais, entre outros.

“Doutor Finanças – 3 passos para uma carteira saudável”, de João Morais Barbosa e João Raposo

  • Editor: Matéria Prima
  • Preço: 14,50 euros na Fnac

Dinheiro que cresce consigo

Uma das maiores preocupações ao longo da vida de trabalhador é conseguir manter a qualidade de vida após terminar esse período e entrar na reforma. Assim, torna-se necessário planear esta altura desde cedo e, como afirma Pedro Barata no seu novo livro, não precisa de muito dinheiro mas sim de saber como o multiplicar. Neste manual prático, que pode ser utilizado dos 20 aos 65 anos, pode encontrar truques para tomar as decisões de investimento mais prudentes e inteligentes.

“Como Fazer Crescer o Seu Dinheiro ao Longo da Vida”, de Pedro Barata

  • Editor: Planeta
  • Preço: 13,95 euros na Bertrand

O seu filho pode ser um génio das finanças. Só tem de o ensinar

Já sabe que é de pequenino que se enche o porquinho, mas é também de pequenino que o seu filho pode iniciar uma caminhada em direção a métodos de poupança bem mais complexos. Passo a passo, dos três aos vinte e três, este livro quer que os pais consigam incutir nos seus filhos conceitos financeiros e princípios de generosidade, produtividade e otimização.

“Make Your Kid A Money Genius (Even If You’re Not)”, de Beth Kobliner

  • Editor: Simon & Schuster (versão em inglês)
  • Preço: 13,59 libras na Amazon

São só trocos…

 

“São só uns trocos, não há problema”. Quem nunca disse estas palavras que atire a primeira pedra. É nestas pequenas irresponsabilidades que Dan Ariely encontra o propósito do seu livro, onde explica que os comportamentos irracionais mexem mais com o nosso orçamento do que o que nós pensamos. Além deste economista, o livro conta também com a ajuda do humorista Jeff Kreisler, para que nos possamos rir dos nossos próprios erros.

“Small Change: Money Mishaps and How to Avoid Them”, de Dan Ariely e Jeff Kreisler

  • Editor: Bluebird
  • Preço: 16,99 libras na Amazon

O ECO está, ao longo desta semana, a realizar um conjunto de trabalhos sobre a poupança, no âmbito do Dia Mundial da Poupança. Pode acompanhar estes artigos aqui.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Folheie estes livros e aprenda a gerir as suas finanças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião