Financiamento dos partidos: Marcelo já terá veto preparado

  • ECO
  • 30 Dezembro 2017

Marcelo estará pronto para vetar a proposta de lei do financiamento partidário no fim da primeira semana de 2018 e a proposta já não vai ter apoio suficiente no Parlamento para voltar a ser aprovada.

Marcelo Rebelo de Sousa já terá preparado o veto para a lei do financiamento partidário que tem criado muita controvérsia no meio político português, de acordo com o semanário Expresso deste sábado. O veto, escreve o semanário, já estará mesmo fundamentado pelo Presidente da República, mas só chegará no final da próxima semana.

Segunda-feira, Marcelo fará a sua mensagem de Ano Novo ao país, e o Expresso escreve que, depois disso, o Presidente quer deixar alguns dias sem se pronunciar antes de anunciar o veto à lei que, entre outras coisas, retira o limite às angariações de fundos partidárias e devolve a totalidade do IVA pago aos partidos.

O Presidente tem até dia 11 de janeiro para se pronunciar sobre a proposta, que deverá então ser vetada. De acordo com o Expresso, a lei não deverá voltar a ser aprovada na Assembleia da República.

Após a polémica, o Bloco de Esquerda foi o primeiro partido que votou a favor da aprovação a demarcar-se da lei. O CDS-PP e o PAN já rejeitaram a lei na altura em que foi votada no Parlamento, e pediram depois ao Presidente da República que a vetasse. Entretanto, escreve o Expresso, o PSD vai escolher a sua nova liderança, ou Santana Lopes ou Rui Rio, e depois disso “não dará votos” para aprovar a lei.

 

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Financiamento dos partidos: Marcelo já terá veto preparado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião