5 coisas que vão marcar o dia

  • Ana Batalha Oliveira
  • 2 Janeiro 2018

O segundo dia do ano traz um recomeço para a Autoeuropa e um futuro ainda incerto para a liderança do PSD.

O ano arranca com o PSD em suspenso: dia 2 de janeiro é o último dia para Santana Lopes oficializar a candidatura à liderança do partido dos social-democratas. A Autoeuropa volta à atividade, depois de uma pausa por falta de peças, e a Markit faz a avaliação da indústria na Zona Euro.

Santana no PSD: oficial ou não?

Esta terça-feira é o último dia para os candidatos do PSD formalizarem as candidaturas. Pedro Santana Lopes, apesar de já se ter anunciado como candidato e apresentado o seu programa, ainda não a tornou formal. O seu único opositor, Rui Rio, fê-lo a 28 de dezembro, dia no qual entregou as declarações de subscrição da candidatura, o orçamento de campanha e a proposta de estratégia global, na sede nacional do Partido.

Autoeuropa de novo de motores ligados

A Autoeuropa recomeça o ano com a retoma da produção, que foi interrompida na terça-feira, 27 de dezembro, devido a uma quebra no fornecimento de peças. Este contratempo ocorreu numa altura conturbada para a fabricante automóvel, que ainda não chegou a acordo com os trabalhadores acerca dos horários que deverão assegurar a produção do novo modelo T-Roc. Depois de terem rejeitado a última proposta da empresa, os trabalhadores puseram na mesa a hipótese de uma greve de dois dias, 2 e 3 de fevereiro.

Mercados despertam para 2018

Novo ano, novos hábitos — e, no caso da bolsa nacional, novas cotadas. Em 2018, a Euronext espera a IPO de uma startup portuguesa, a Raize. Isto, depois de 2017 ter levado três cotadas para longe dos mercados: Montepio, Cimpor e a Sumol+Compal. O novo ano arranca com o menor número de empresas em bolsa desde sempre (56) mas com boas perspetivas. Para além das novas entradas, espera-se um abrandamento no crescimento da economia que, contudo, se manterá nos 2%, segundo os economistas sondados pela Bloomberg.

Indústria na Zona Euro: a todo o vapor?

A Markit revela o PMI — o índice que mede a saúde da indústria — para a Zona Euro, EUA e Reino Unido. Este termómetro tem detetado uma evolução bastante positiva: o setor industrial na zona euro acelerou em outubro para o valor mais alto desde fevereiro de 2011. Em novembro a classificação desceu dos 58,7 para os 58,2, uma descida não muito significativa. Os aumentos na produção levaram a subidas no emprego no setor e a uma escassez de matérias-primas, o que fez elevar os seus custos.

Os transportes do Porto têm novo “motorista”

O ano arranca com a tomada de posse do novo Conselho de Administração da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP). O Tribunal de Contas autorizou que a gestão deste serviço passasse para os municípios que a STCP serve — Porto, Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Maia, Valongo e Gondomar. No novo ano, a empresa de transportes do Porto terá direito a 1,2 milhões para “remodelação e reparação de frota”, valor abaixo dos 1,455 milhões que lhe foram destinados em 2017.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião