Governo oculta parecer sobre Manuel Vicente há cinco semanas

  • ECO
  • 9 Janeiro 2018

António Costa tem em mãos um parecer que solicitou ao conselho consultivo da Procuradoria-Geral da República sobre se o antigo vice-presidente angolano goza ou não de imunidade.

O primeiro-ministro tem nas suas mãos, há cerca de cinco semanas, um parecer que solicitou ao conselho consultivo da Procuradoria-Geral da República sobre se o antigo vice-presidente angolano goza ou não de imunidade, numa altura em que é acusado de corrupção ativa. Um parecer que António Costa afirmou publicamente ter pedido, mas cujo teor nunca foi divulgado, avança o Público (acesso condicionado).

O jornal revela que este documento subscreve teses já defendidas. Ou seja, que Manuel Vicente não goza de imunidade no casos em que é suspeito de ter corrompido o procurador português Orlando Figueira para que arquivasse processos judiciais em que era visado. O coletivo de juízes a quem foi atribuído o caso vai ter de decidir até dia 22 de janeiro, quando arranca o julgamento, se tem condições para começar a julgar os arguidos mesmo sem a presença o ex-vice-presidente de Angola. Ou se é preferível adiar, uma vez que as autoridades angolanas invocam imunidade para se recusarem a notificar Manuel Vicente.

Angola pediu a transferência do processo de Manuel Vicente para o território africano. Mas Portugal não concedeu, alegando não confiar na justiça angolana. O Presidente angolano, João Lourenço, deixou claro no discurso de segunda-feira que considera esta recusa como “uma ofensa”.

Portugal, lamentavelmente, não satisfez o pedido”, criticou o Presidente angolano. “Não estamos a pedir o arquivamento ou absolvição” do processo, esclarece. Apesar de lamentar a situação, as boas relações podem ser retomadas com “apenas um gesto”: se Portugal recuar na decisão e remeter o processo para Angola.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo oculta parecer sobre Manuel Vicente há cinco semanas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião