Consumo de canábis para fins medicinais vai ser debatido na especialidade

As propostas do consumo de canábis para fins terapêuticos e o seu cultivo não vão ser votadas no Parlamento, pelo menos para já. O PSD vai apresentar um projeto próprio.

As propostas apresentadas pelo Bloco de Esquerda (BE) e pelo PAN para legalizar o consumo de canábis para fins terapêuticos e o seu cultivo não vão ser votadas esta quinta-feira no Parlamento, como esperado. O PSD vai apresentar um projeto próprio relativamente ao uso da substância para fins medicinais.

Os projetos vão descer à especialidade, isto é, apenas uma parte das propostas será aprovada — a que permite o uso da planta para fins terapêuticos, deixando de fora a parte do seu autocultivo. Isto porque o PSD sempre se manifestou contra o autocultivo da planta, apesar de concordar com o uso terapêutico da substância. Tal adiantou o Jornal Público (acesso condicionado), citando uma fonte do PSD, o partido vai apresentar um projeto próprio relativamente à legalização do canábis para fins medicinais.

O partido de Pedro Passos Coelho pediu ao BE e ao PAN para as propostas serem debatidas na comissão de Saúde, não havendo a votação parlamentar. Estes acederam e autorizaram a discussão do projeto por um prazo de 60 dias. Até à hora do voto, apenas o BE, o PAN e o PS iriam votar a favor, no entanto, seriam insuficientes em comparação com os votos contra dos restantes partidos.

Comentários ({{ total }})

Consumo de canábis para fins medicinais vai ser debatido na especialidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião