Apple junta-se a Malala na luta pela educação feminina

  • ECO
  • 22 Janeiro 2018

A associação criada por Malala Yousafzai vai receber fundos da Apple para garantir a 100 mil raparigas carenciadas o acesso a educação de qualidade. Cook diz que a igualdade é a filosofia da gigante.

Quatro meses depois de se terem encontrado pela primeira vez, em Oxford, Malala Yousafzai e Tim Cook anunciam uma nova parceria na luta pela educação feminina. A ativista receberá da multinacional da maçã fundos para concretizar o objetivo da sua associação: garantir a 100 mil raparigas carenciadas de países como o Paquistão, o Líbano, o Afeganistão, a Nigéria e a Turquia o acesso à escola.

“O meu sonho é ver cada rapariga a receber educação de qualidade e, nesse sentido, espero que esta parceria com a Apple possa expandir o nosso trabalho”, realçou a mais jovem Nobel da Paz, no Independent. O líder executivo da gigante da tecnologia sublinhou, por outro lado, que o poder da educação como força que gera igualdade sempre fez parte da filosofia da empresa. “Começámos a falar e tornou-se claro que ela tem uma visão ousada, que se alinha com a ousadia da Apple e com a nossa crença primordial na igualdade e na força da educação como grande equalizador”, enfatizou Cook.

Segundo o norte-americano, já Steve Jobs tinha como principal foco fazer dos produtos da Apple instrumentos valiosos, no ambiente educativo, maximizando o potencial de cada estudante. “Fizemo-lo em cenários muito distintos. De escolas carenciadas até ao polo oposto”. Deste modo, Tim Cook adianta que a multinacional não contribuirá apenas com dinheiro, mas também com o seu conhecimento tecnológico e educacional.

Em 2012, Malala Yousafzai foi vítima de uma tentativa de assassinato levada a cabo pelos Talibã. Aos quinze anos, a ativista foi baleada a caminho da escola e sobreviveu, tendo-se transformado, na sequência desse evento, num ícone da luta pelo acesso feminino à educação de qualidade. Dois anos mais tarde, a paquistanesa consagrou-se a mais jovem Nobel da Paz.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apple junta-se a Malala na luta pela educação feminina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião