Plano fiscal de Trump agradou à Apple. Quer empregar mais 20 mil pessoas até 2023

  • Juliana Nogueira Santos
  • 17 Janeiro 2018

O plano de investimento foi anunciado esta quarta-feira pela empresa, que espera contribuir com 350 mil milhões de dólares para a economia norte-americana. Ações da empresa renovam máximos históricos.

O plano fiscal de Trump agradou a Tim Cook, que vai abrir os cordões à bolsa nos próximos cinco anos. A Apple AAPL 0,00% anunciou um pacote de investimentos em território norte-americano que passam pela construção de um novo campus, pela repatriação de lucros e pagamento dos respetivos impostos e pela contratação de 20 mil trabalhadores.

Em comunicado, a empresa garante que este pacote de medidas se deve, em parte, ao alívio fiscal provocado pelo novo plano da administração norte-americana e que se vai traduzir num impacto para a economia de 350 mil milhões de dólares, nos próximos cinco anos.

“A Apple é uma história de sucesso que só poderia ter acontecido na América e estamos tão orgulhosos por construir a nossa longa história de apoio à economia norte-americana”, apontou Tim Cook em comunicado. “Acreditamos profundamente no poder da ingenuidade americana e estamos a focar os nossos investimentos em áreas onde possamos ter um impacto direto na criação de emprego. Temos um sentido de responsabilidade profundo de devolver ao nosso país e às pessoas que ajudaram a tornar o nosso sucesso possível.”

Assim, os novos empregos irão ser criados não só nos campus já existentes, como neste novo, cuja localização vai ser anunciada durante este ano. Inicialmente, esta nova casa da marca da maçã vai albergar o serviços de suporte técnico.

Tim Cook prevê ainda o investimento de 10 mil milhões de dólares nos data centres já existentes e a repatriação de lucros que resultará no pagamento de impostos, one-off, de 38 mil milhões de dólares.

“A Apple, que é já o maior contribuinte dos Estados Unidos, antecipa o pagamento de impostos sobre a repatriação de aproximadamente 38 mil milhões de dólares em lucros, tal como requerido pelas recentes mudanças nas leis fiscais”, diz a empresa. “Um pagamento desta dimensão será, provavelmente, o maior deste tipo alguma vez feito.”

A Apple tem sido alvo de críticas, tanto nos EUA como na Europa, por não ter pago dos impostos relativos aos lucros que mantém em vários países. A comissária europeia responsável pela concorrência, Margrethe Vestager, já tem deixado claro que “A Apple deve pagar os seus impostos”.

No índice tecnológico Nasdaq, as ações da empresa liderada seguem a renovar máximos, avançando cerca de 1% para os 177,46 dólares.

Ações da Apple renovam máximos

(Notícia atualizada às 19h04 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Plano fiscal de Trump agradou à Apple. Quer empregar mais 20 mil pessoas até 2023

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião