Netflix dispara 13%. Leva Nasdaq para máximo histórico

  • Rita Atalaia
  • 23 Janeiro 2018

As principais bolsas norte-americanas abriram no verde. E graças aos resultados positivos de algumas cotadas, como é o caso da Netflix. Números fortes que levaram o Nasdaq para novo recorde.

As principais bolsas norte-americanas abriram no verde, tocando novamente máximos históricos. E graças aos resultados positivos de algumas cotadas, cujos números superaram as expectativas no mercado. Além disso, os investidores continuam a festejar o facto de o Governo federal dos EUA ter conseguido o financiamento necessário para funcionar normalmente.

O impasse entre republicanos e democratas foi resolvido no Senado, com os liberais a concordarem com outra solução temporária. A maioria dos deputados da Câmara Alta votaram a favor, uma decisão que levou os principais índices bolsistas a tocarem máximos. Este bom desempenho mantém-se esta terça-feira. O Nasdaq abriu num recorde, subindo 0,25% para 7.426,66 pontos, depois de o Netflix ter disparado 12,6% no seguimento da apresentação de bons resultados financeiros.

O industrial Dow Jones e o S&P 500 também tocaram máximos na abertura, mas acabaram por ceder esses ganhos. O Dow recua agora 0,11% para 26.185,90 pontos e o S&P 500 valoriza 0,11% para 2.836,11 pontos.

“As ações vão continua a beneficiar do otimismo em torno dos resultados que se tem vivido nos últimos 18 meses nos EUA e lá fora”, afirma Marc Chaikin, CEO da Chaikin Analytics. Até agora, as ações têm respondido positivamente, acrescenta. A Johnson & Johnson, Procter & Gamble e Travelers Cos., componentes do Dow, reportaram números acima do que era previsto pelo mercado. Já a Verizon desiludiu os investidores com os lucros, mas conseguiu surpreender com vendas acima do estimado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Netflix dispara 13%. Leva Nasdaq para máximo histórico

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião