Câmara do Porto admite contactos com a Amazon

  • ECO
  • 26 Janeiro 2018

Os contactos entre a Câmara e a Amazon terão sido estabelecidos no sentido de proceder à eventual abertura de um espaço na cidade.

A Amazon poderá instalar-se no Porto. A Câmara da cidade Invicta assume que já existiram contactos com a gigante tecnológica no sentido de uma eventual abertura de um espaço na cidade, avança o Jornal de Notícias.

Apesar de fonte oficial da Câmara Municipal do Porto confirmar que já foram estabelecidos contactos com a empresa americana, não foram adiantados quaisquer pormenores.

As declarações da Câmara surgem pouco depois de o Jornal de Negócios ter avançado a notícia de que a gigante tecnológica estaria a negociar um espaço no Porto, na zona nobre da Boavista. A empresa recusou comentar, mas a mesma fonte que revelou que a decisão, a acontecer, poderá ser oficializada ainda durante o primeiro trimestre de 2018.

A concretizar-se a entrada da Amazon em Portugal, os analistas do CaixaBank BPI já lançaram os primeiros alertas: a empresa americana é uma ameaça para os restantes operadores do mercado do retalho eletrónico. Uma das cotadas portuguesas que pode vir a ser afetada é a Sonae, que tem registado um forte crescimento nesta frente.

A empresa liderada pelo multimilionário Jeff Bezos conta já com operações em Espanha e tem vindo a expandir-se a grande velocidade. Para já, os portugueses podem fazer compras na versão espanhola, mas não existe uma oferta direcionada ao mercado nacional. Em 2017, chegaram a Portugal m dos seus principais produtos tecnológicos: as colunas inteligentes Echo, Echo Dot e Echo Plus, equipadas com a assistente virtual Alexa.

A possível vinda da Amazon para Portugal surge dias depois de o primeiro-ministro português, António Costa, ter anunciado a abertura de um centro tecnológico da Google em Oeiras, que irá criar 500 postos de trabalho na cidade.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Câmara do Porto admite contactos com a Amazon

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião