Nova Iorque encerra no vermelho com investidores expectantes

  • Marta Santos Silva
  • 1 Fevereiro 2018

Antecipação nas tecnológicas da revelação dos resultados de várias grandes empresas puxou para baixo o Nasdaq, enquanto o S&P 500 perdeu os ganhos do dia.

Em época de resultados, a bolsa de Nova Iorque acabou a quinta-feira no vermelho com o peso das expectativas dos investidores relativamente às revelações que viriam aí depois do soar da campainha de fecho. Entre as empresas que apresentam resultados esta noite está incluída a Apple, assim como a Amazon e a dona da Google, a Alphabet.

O S&P 500, o principal índice de referência da bolsa norte-americana, fechou a cair 0,06% para os 2.821,98 pontos. A pressão veio principalmente das subidas generalizadas de juros das dívidas soberanas, após mudanças de tom tanto da Fed, esta semana, como do Banco Central Europeu, na semana passada, que colocaram em cima da mesa a possibilidade de vir a aumentar as taxas de juro.

Também a cair, o índice das tecnologias, o Nasdaq, onde os investidores venderam em antecipação de alguns grandes resultados que ainda falta conhecer. Se ontem a Microsoft e o Facebook mostraram o que valeram em 2017, com a Microsoft a dar prejuízo, hoje a Apple, a Amazon e a Alphabet também prestam contas. O Nasdaq caiu 0,7%, para os 6.901,504. O industrial Dow Jones salvou-se do vermelho por um triz, ganhando 0,14% para se fixar nos 26.186,71 pontos.

Para Stephen Massocca, analista da Wedbush Securities que falou à Reuters, os últimos dias não marcam necessariamente uma tendência para manter. “Esta venda é só para deixar sair o vapor da chaleira”, afirmou. “Mesmo depois de serem propostas mudanças de política [monetária], continuamos a ter uma política monetária acomodatícia”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova Iorque encerra no vermelho com investidores expectantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião