Fed vai estar atenta “a qualquer risco” para a “estabilidade financeira”

  • Lusa
  • 13 Fevereiro 2018

O novo presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed) afirmou que vai estar "atento a qualquer risco" para a "estabilidade financeira", depois das turbulências em Wall Street.

Jerome Powell, presidente da Fed.

“Estaremos atentos a qualquer risco em desenvolvimento para a estabilidade financeira”, afirmou Powell na posse formal do cargo, depois de ter assumido funções em 03 de fevereiro, em substituição de Janet Yellen.

Estas são as primeiras declarações de Powell depois de na semana passada Wall Street ter registado uma forte queda, provocando incerteza nos mercados, com o índice industrial Dow Jones a somar quedas de 5,2%, o maior recuo em dois anos.

“O sistema financeiro está incomparavelmente mais forte e seguro, com muito mais capital e liquidez, melhor gestão de riscos e outras melhorias”, acrescentou Powell sobre as medidas de reforço aplicadas pelo banco central norte-americano na grave crise económica de 2008-2010.

Sobre a política monetária da Fed, reiterou que atravessa “um processo de normalização gradual tanto das taxas de juro, como do equilíbrio”.

A próxima reunião de política monetária da Fed está prevista para 20 e 21 de março.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fed vai estar atenta “a qualquer risco” para a “estabilidade financeira”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião