Operadoras vão pagar menos pela portabilidade dos números de telefone

Anacom e operadoras chegaram a acordo com a empresa que gere a base de dados dos números portados. Preços caem até 62%.

Os preços que as operadoras pagam pela portabilidade de números de telemóvel vão baixar até 62% face aos valores em vigor nos últimos três anos. A redução dos preços do serviço de portabilidade praticados pela Portabil, a empresa privada que gere a base de dados dos números portados, surge depois de uma negociação entre a companhia, as operadoras e o regulador das comunicações.

“Entre as alterações introduzidas inclui-se a redução dos preços para a subscrição mensal, em 40%, tendo ainda sido criadas duas novas mensalidades. Uma mensalidade para operadores que portam menos de 300 números, cuja redução é de 52%; e outra para aqueles que apenas encaminham tráfego, caso em que a descida é de 62%”, refere a entidade liderada por João Cadete de Matos, num comunicado enviado esta quinta-feira.

Segundo a Anacom, as medidas permitem “reduzir substancialmente os custos em que incorrem os operadores com obrigações de portabilidade, potenciando a entrada de novos operadores no mercado e fomentando a concorrência no setor das comunicações eletrónicas”. A portabilidade é um serviço em que o cliente pode mudar de operadora, mantendo o mesmo número de telemóvel.

O regulador termina, dando conta de alguns dados respetivos à portabilidade de números: “No total, desde a introdução da portabilidade em 2001 até 31 de janeiro de 2018, foram portados 8,3 milhões de números, sendo que 4,1 milhões são números do serviço móvel e 4,2 milhões são números do serviço fixo de telefone. De acordo com os últimos dados disponíveis, no período entre 1 de fevereiro de 2017 e 31 janeiro de 2018 foram portados 804.826 números”, avança a Anacom.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Operadoras vão pagar menos pela portabilidade dos números de telefone

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião