Irlanda desiste. Centeno admite que De Guindos é único candidato ao lugar de Constâncio

  • Marta Santos Silva
  • 19 Fevereiro 2018

Com a desistência do candidato irlandês, o ministro das Finanças espanhol Luis De Guindos passa a ser o único candidato a ser avaliado no Eurogrupo para tomar o lugar de vice-presidente do BCE.

A Irlanda anunciou esta segunda-feira que retira a candidatura do seu Governador do banco central para a vice-presidência do BCE, deixando apenas Luis De Guindos como candidato para ocupar a cadeira de Vítor Constâncio. O ministro das Finanças espanhol é o candidato apoiado por Portugal. O Eurogrupo decide esta segunda-feira, em Bruxelas, quem vai ser o próximo vice-presidente.

“Há algumas semanas nomeei Philip Lane para a vice-presidência do BCE”, explicou aos jornalistas, à entrada da reunião, o ministro irlandês da Despesa Pública, Paschal Donohoe. “No entanto, não vamos avançar com a candidatura dele hoje. Acredito que é importante, e que fica no interesse do Banco Central Europeu, que a decisão seja tomada por consenso”.

Os dois candidatos eram Luis De Guindos e o irlandês Philip Lane que, retirando-se, deixa o caminho aberto para De Guindos ser eleito. Mário Centeno, presidente do Eurogrupo, disse ao chegar que soubera “há minutos” da saída de Philip Lane da corrida: “O que nos deixa Luis De Guindos como o candidato a vice-presidente do BCE”. Realçando a importância da posição, Mário Centeno afirmou que o Banco Central Europeu, sendo responsável pela estabilidade financeira da Europa, afeta a vida dos portugueses.

Pierre Moscovici, o Comissário Europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, admitiu que havendo apenas um candidato o resultado parecia claro. “Não posso comentar antes de a eleição ter lugar”, reconheceu. “Não o posso felicitar antes, mas terá direito às minhas muito calorosas felicitações depois”.

Para Pierre Moscovici, questionado pelos jornalistas à entrada da reunião do Eurogrupo, onde representa a Comissão Europeia, o facto de De Guindos ser um político não apresenta problemas. “É um homem competente, que aplicará a sua experiência nas suas novas funções”, disse o comissário. “Os políticos são pessoas, e estou certo de que o meu amigo De Guindos, que tem lutado pelo setor bancário espanhol, que tem estado connosco enquanto lidámos com a crise grega, estou certo de que consegue aprender e fazer um bom trabalho enquanto vice-presidente do BCE.

O ministro irlandês destacou, ao anunciar a desistência de Philip Lane, que “De Guindos, se escolhido hoje, fará um bom trabalho”, e que Philip Lane, governador do banco central irlandês, “fará um trabalho muito importante na Irlanda e na Europa no futuro”. Philip Lane era o favorito do Parlamento Europeu, mas o parecer dos eurodeputados não é vinculativo.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Irlanda desiste. Centeno admite que De Guindos é único candidato ao lugar de Constâncio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião