Caldeira Cabral: “Capitalizar Mais vai chegar aos 2.400 milhões”

O ministro da Economia foi a Gondomar reforçar a ideia de que o Governo vai avançar com as linhas Capitalizar Mais. Caldeira Cabral diz que "com reforço das verbas vai chegar aos 2.400 milhões".

Caldeira Cabral foi a Gondomar para, perante uma plateia de 1947 pequenas e médias empresas, reforçar a ideia de que o Governo vai avançar com as linhas Capitalizar Mais este ano, reforçando as verbas envolvidas para os 2.400 milhões de euros. Para chegar a este montante Caldeira Cabral fala no “reforço das linhas existentes, mas também com o lançamento das novas linhas para as exportações e para as mid cap“.

O ministro da Economia que falava na cerimónia de distinção das PME Excelência 2017, uma iniciativa do IAPMEI e do Turismo de Portugal, relembrou ainda que as linhas de investimento “têm melhores condições podendo estender os prazos a 12 anos, e que podem ter períodos de carência maiores”.

Para Caldeira Cabral são precisamente “as melhores condições de financiamento que dão confiança às empresas para investir“.

Este discurso vem de encontro ao que Caldeira Cabral tinha afirmando no parlamento, no final de janeiro, quando relembrou o compromisso inscrito no Orçamento de Estado para 2018: “Vamos relançar as linhas capitalizar através da renovação das linhas em vigor, mas melhorando os prazos de maturidade que passam de seis anos para 12 anos”.

Por seu turno, a secretária de Estado da Indústria realçou o papel da quarta revolução industrial. Ana Teresa Lehmann relembra que “as empresas têm de liderar esta transição para uma indústria moderna e inovadora, que aposte em tecnologias digitais disruptivas como o blockchain, a inteligência artificial, a robotização e colaboração entre homem e máquina, para a realização de tarefas repetitivas de forma mais eficiente, libertando os recursos humanos para funções mais criativas e especializadas”.

Indústria 4.0: 60% das medidas estão em execução

Ana Lehmann alertou para a necessidade de as PME terem de acompanhar a mudança, sob o risco de perderem eficiência e competitividade. Nesse sentido, relembrou que o Governo lançou a estratégia para a Indústria 4.0, um programa a quatro anos com seis eixos estratégicos e que inclui 64 medidas.

No seu discurso, Ana Lehmann disse que, “em apenas um ano já temos avanços significativos: 60% das medidas que definimos estão concretizadas ou em execução“. O que para a secretária de Estado significa que, “40 das 64 ações estão em curso, algumas já com resultados muito concretos“.

No total, foram abertos avisos “com dotação de cerca de 700 milhões de euros para apoiar projetos relacionados com a indústria 4.0, de inovação produtiva e investigação e desenvolvimento tecnológico”. Ana Lehmann deixou ainda promessa de que “novos anúncios vão surgir este ano”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Caldeira Cabral: “Capitalizar Mais vai chegar aos 2.400 milhões”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião