Jerónimo Martins soma 1,5%. Lisboa resiste à pressão das energéticas

O PSI-20 encerrou em alta ligeira, sustentado na subida das ações da retalhista, num dia de fortes perdas dos títulos do setor energético.

A bolsa nacional encerrou em terreno positivo, recuperando face às perdas do início da sessão, sustentada no avanço de 1,5% das ações da Jerónimo Martins. A Galp Energia aliviou as perdas e permitiu ao PSI-20 terminar a sessão em alta ligeira, em sintonia com os pares europeus.

O PSI-20 valorizou 0,24%, para os 5.448,81 pontos, com 11 títulos em terreno negativo e sete em alta. O avanço de 1,53%, para os 17,62 euros, das ações da Jerónimo Martins foi o principal responsável por ditar um fecho positivo para o índice bolsista nacional.

A praça nacional foi ainda sustentada pela valorização de 5,63%, para os 3,845 euros, dos títulos da Mota-Engil, que encabeçaram os ganhos. “A Mota-Engil tem vindo a subir desde que o petróleo está a recuperar, uma vez que tem uma carteira de clientes em zonas que dependem muito do petróleo, como Angola ou o México”, dizia Paulo Rosa, trader da Go Bulling, para justificar o avanço das ações da construtora nesta terça-feira.

Também os títulos do universo do papel se destacaram nos ganhos. As ações da Navigator valorizaram 4,05%, para os 4,416 euros, enquanto as da casa-mãe Semapa somaram 2,76%, para os 2,76 euros, a beneficiar dos resultados positivos apresentados recentemente pela Semapa. Já as ações da Altri avançaram 2,67%, para os 4,62 euros.

A Galp Energia foi um dos destaques negativos, apesar de te conseguido travar as perdas de mais de 3% registadas no arranque da sessão, com o mercado a não ficar convencido face às contas apresentadas pela empresa liderada por Carlos Gomes da Silva nesta terça-feira. As ações da petrolífera acabaram por desvalorizar apenas 0,14%, para os 14,675 euros.

Contudo, foram sobretudo os títulos do universo EDP que mais pressionaram o rumo do PSI-20. As ações da EDP recuaram 2,45%, para os 2,704 euros, enquanto as da EDP Renováveis perderam 0,63%, para os 7,09 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Jerónimo Martins soma 1,5%. Lisboa resiste à pressão das energéticas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião