Cerca de 6.000 polícias vão ter carreiras descongeladas em março

  • Lusa
  • 22 Fevereiro 2018

Eduardo Cabrita adiantou que as negociações com as estruturas sindicais das forças de segurança arrancam em março, para ser definida a forma como vai ser feita a contagem do tempo.

Cerca de 6.000 elementos das forças de segurança vão ter as carreiras descongeladas em março e as negociações com as estruturas sindicais sobre esta matéria vão iniciar-se no próximo mês, anunciou esta quinta-feira o ministro da Administração Interna.

Eduardo Cabrita avançou que, no início de março, vão ter início negociações com as estruturas sindicais das forças de segurança para ser definida a forma como vai ser feita a contagem do tempo em que as carreiras estiveram congeladas, entre 2011 e 2017. “O Orçamento do Estado vai ser aplicado, isto é, desbloqueando as carreiras permitindo que, em março, já cerca de 6.000 homens possam progredir, que as promoções sejam realizadas e iniciando na primeira semana de março o diálogo com as associações sindicais sobre o artigo 19”, disse o ministro.

Eduardo Cabrita participou esta segunda-feira à tarde num debate parlamentar de atualidade sobre segurança interna marcado pelo CDS-PP, sendo o descongelamento de carreiras dos elementos da PSP e da GNR e a contagem do tempo em que estiveram congeladas, entre 2011 e 2017, uma das questões levantadas pelo partido.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Cerca de 6.000 polícias vão ter carreiras descongeladas em março

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião